01:31 23 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    COVID-19 no mundo em outubro de 2021 (23)
    251
    Nos siga no

    O Fundo Russo de Investimentos Diretos disse que tiveram sucesso as tentativas de recombinação da Sputnik Light com quatro vacinas contra o SARS-CoV-2, inclusive maior que com duas doses de outra vacina.

    O uso da vacina anticoronavírus Sputnik Light como segunda dose após outras vacinas mostrou um alto nível de segurança, sem efeitos colaterais graves, disse na quinta-feira (14) o Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo).

    "O estudo demonstrou um alto nível de segurança do uso da Sputnik Light em combinações com todas as outras vacinas, sem efeitos colaterais sérios após a vacinação em qualquer combinação", indica o comunicado em referência às vacinas AstraZeneca, Moderna, Sinopharm e CanSino.

    "Cada um dos 'coquetéis de vacinas' com Sputnik Light produziu até o 14º dia após a segunda injeção níveis mais altos de anticorpos do que a vacinação homogênea original, na qual o mesmo componente é administrado duas vezes", relatou o RFPI.

    ​URGENTE | RFPI: O primeiro estudo combinado do mundo na Argentina, apoiado pelo RFPI, mostrou que as vacinas Sputnik Light (1ª dose da Sputnik V) & Moderna ajudaram outras vacinas como 2ª dose/doses de reforço, induzindo uma resposta imune mais forte contra a COVID-19. A combinação AstraZeneca/Sputnik Light mostrou ótimos resultados.

    URGENTE | RFPI: O estudo de mais de 1.000 participantes fornece as mais fortes evidências científicas em favor de uma dose de reforço heterogênea.

    A Sputnik V foi a 1ª vacina de reforço heterogênea. Foi pioneira em mistura e combinação e foi a 1ª a iniciar estudos de recombinação conjunta com outras.

    O reforço heterogêneo ajudou a Sputnik V a alcançar sua eficácia excepcional, confirmada por estudos no mundo real. Esta abordagem ganhou reconhecimento global como uma arma contra mutações do coronavírus, que causam novos lockdowns e adiam a vitória sobre a COVID-19.

    O estudo provisório de combinação de vacinas contra o SARS-CoV-2 foi realizado na Argentina, envolvendo 1.102 participantes. É planejado que o estudo final inclua 2.800 indivíduos, "560 em cada uma das cinco províncias da Argentina: cidade e província de Buenos Aires, bem como Córdoba, La Rioja e San Luis", comunica o RFPI.

    "A combinação AstraZeneca-Sputnik Light havia mostrado anteriormente grandes resultados de imunogenicidade e segurança no Azerbaijão, e agora na Argentina. A combinação AstraZeneca-Sputnik Light mostrou níveis de imunogenicidade mais elevados do que a vacina AstraZeneca original", diz a declaração.

    Tema:
    COVID-19 no mundo em outubro de 2021 (23)

    Mais:

    Vacina Sputnik Light mostra eficácia de 70% contra Delta 3 meses após vacinação, diz produtor
    Fabricante da Sputnik Light revela eficácia da combinação da vacina russa com Pfizer contra Delta
    Fundo Russo de Investimentos Diretos propõe à Pfizer estudo conjunto com Sputnik Light para 3ª dose
    Tags:
    COVID-19, Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI), Argentina, Sputnik V
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar