11:29 18 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 105
    Nos siga no

    A decisão ocorre três dias após o fiasco eleitoral sofrido pelo governo nas eleições primárias. Até o momento, a Casa Rosada não confirmou a saída dos ministros e nem se pronunciou publicamente sobre o assunto.

    O ministro do Interior da Argentina, Eduardo de Pedro, ofereceu nesta quarta-feira (15) sua renúncia ao presidente, Alberto Fernández, após a derrota eleitoral do governo nas eleições primárias legislativas do último domingo (12).

    ​Carta de [Eduardo] "Wado" de Pedro, colocando a sua renúncia do Ministério do Interior à disposição.

    "Sinto-me motivado a colocar à sua disposição a minha renúncia ao cargo de Ministro do Interior da Nação com o qual me sinto honrado desde 10 de dezembro de 2019", lê-se na carta enviada ao presidente Fernández.

    Eduardo de Pedro, 44 anos, é filho de desaparecidos durante a última ditadura cívico-militar na Argentina (1976-1983).

    Presidente da Argentina Alberto Fernández e sua vice-presidente Cristina Kirchner
    © AP Photo / Marcos Brindicci
    Presidente da Argentina Alberto Fernández e sua vice-presidente Cristina Kirchner

    Pressão para reformar governo

    Ministros ligados à vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, devem seguir o exemplo de Pedro. Entre os que indicaram que pretendem renunciar estão os ministros da Justiça, Martín Soria, da Habitação, Jorge Ferraresi, e da Ciência e Tecnologia, Roberto Salvarezza.

    "Sim, ele disponibilizou sua renúncia", confirmou à Sputnik fonte no Ministério da Ciência e Tecnologia.

    A diretora-executiva da Administração Nacional da Previdência Social (ANSES), Fernanda Raverta, e a diretora-executiva do Programa Estadual de Atenção Integral à Saúde dos Aposentados e Pensionistas (PAMI), Luana Volnovich, também pediram demissão. Na província de Buenos Aires, todo o gabinete de ministros entregou sua renúncia ao governador Axel Kicillof, vinculado ao governo de Alberto Fernández.

    A decisão ocorre três dias após o fiasco eleitoral sofrido pelo partido no poder nas eleições primárias, quando perdeu em 18 dos 24 distritos do país.

    Todas essas autoridades são próximas da vice-presidente Cristina Fernández de Kirchner. Até o momento, a Casa Rosada não confirmou a saída dos ministros e nem se pronunciou publicamente sobre o assunto.

    Mais:

    Analista: Brasil terá perdas ‘pesadas’ e Argentina se beneficiará se embargo chinês de carne durar
    Brasil fica fora de cúpula da ONU sobre clima e abre espaço para protagonismo da Argentina na região
    FOTOS de satélites revelam maior redução de caudal do Paraná na Argentina em 77 anos
    Terremoto de magnitude 6,0 atinge região próxima de Salta, na Argentina
    Tags:
    Argentina, Buenos Aires, província de Buenos Aires, Alberto Fernández, Cristina Kirchner, renuncia, renúncia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar