08:28 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    2518
    Nos siga no

    O presidente norte-americano, Joe Biden, oficializou a prorrogação por mais um ano do embargo econômico contra Cuba, sob a Lei de Comércio com o Inimigo, um dos estatutos de Washington que regulamenta as restrições comerciais de Havana.

    A imposição, prevista no Ato de Comércio com o Inimigo, deveria expirar em 14 de setembro de 2021.

    A lei norte-americana chama eufemisticamente o embargo de "exercício de certas autoridades".

    Por essa razão, Biden determinou que "a continuação do exercício dessas autoridades com respeito a Cuba por [mais] um ano, é do interesse nacional dos EUA".

    Sabendo isso, o embargo terá agora seu suposto fim em 14 de setembro de 2022.

    Em meados do mês passado, Washington impôs novas sanções contra diversas instituições cubanas por causa da repressão dos protestos locais, ocorridos em julho.

    Desde então, vários países, como a Rússia, Bolívia, México e Nicarágua, enviaram ajuda humanitária para Cuba, pressionando os EUA para que suspendam o embargo econômico que tem fragilizado o país da América Latina.

    Mais:

    Talibã diz querer manter relações com EUA e encoraja sua participação da reconstrução do Afeganistão
    Chanceler de Cuba acusa EUA de politizarem origens da COVID-19 e culparem China
    Aviões de reconhecimento dos EUA são flagrados sobrevoando Taiwan, relata think tank chinês
    Tags:
    EUA, Cuba, Washing, Havana, embargo, sanções econômicas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar