22:09 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    2415
    Nos siga no

    O diálogo entre as duas potências sofre uma série de interrupções com declarações hostis de ambos os lados por questões políticas e econômicas. Segundo mídia, há intenção entre as duas nações de melhorar a relação.

    Um alto funcionário do Pentágono conversou com militares chineses pela primeira vez desde que o presidente, Joe Biden, assumiu o cargo em janeiro deste ano, com a intenção de se concentrar na gestão de riscos entre os dois países, disse um funcionário dos EUA em condição de anonimato à Reuters.

    As relações entre a China e os Estados Unidos estão cada vez mais tensas, com as duas maiores economias do mundo entrando em confronto por diversos motivos. Alguns deles são a questão da soberania da China sob Taiwan, as supostas violações de direitos humanos na região de Xinjiang e as atividades militares norte-americanas no mar do Sul da China.

    Entretanto, parece que as duas potências começam um diálogo mais próximo.

    O então vice-presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente chinês, Xi Jinping, brindam durante almoço, em 25 de setembro de 2015, Washington, EUA
    © AFP 2021 / PAUL J. RICHARDS
    O então vice-presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente chinês, Xi Jinping, brindam durante almoço, em 25 de setembro de 2015, Washington, EUA

    Na semana passada, Michael Chase, subsecretário de Defesa da China, conversou com o major-general chinês, Huang Xueping, vice-diretor do Escritório do Exército de Libertação do Povo para Cooperação Militar Internacional, através de uma videoconferência, segundo a mídia.

    "[Eles] utilizaram o link telefônico de defesa EUA-RPC para conduzir uma videoconferência segura. Ambos os lados concordaram sobre a importância de manter canais abertos de comunicação entre os dois militares", disse o funcionário norte-americano.

    Ainda segundo a mídia, autoridades disseram que o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, ainda não falou com seu homólogo chinês, em parte, porque houve um debate sobre qual funcionário chinês seria o homólogo de Austin para tal diálogo.

    Com uma política diferente de seu antecessor, Donald Trump, Biden tem procurado reunir aliados e parceiros para ajudar a combater o que a Casa Branca chama de "políticas externas e econômicas cada vez mais coercitivas da China".

    Mais:

    EUA nunca 'enfrentaram adversários' com armas nucleares como Rússia e China, diz chefe do STRATCOM
    China critica relatório dos EUA sobre origens da COVID-19 por não ser 'cientificamente credível'
    Destróier dos EUA navega pelo estreito de Taiwan após exercícios de Pequim no mar do Sul da China
    Tags:
    China, Pentágono, Lloyd J. Austin, Joe Biden, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar