10:35 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    112238
    Nos siga no

    O democrata Joe Biden afirmou nesta quinta-feira (26) que os EUA vão caçar os terroristas responsáveis pelos ataques no aeroporto de Cabul, que causaram várias baixas nas tropas norte-americanas.

    A inteligência dos EUA avaliou que os ataques fatais no aeroporto de Cabul foram perpetrados pelo Estado Islâmico na Província de Khorasan (EI–K), um ramo do Daesh (organizações terroristas, proibidas na Rússia e em vários outros países), afirmou o presidente dos EUA, Joe Biden, nesta quinta-feira (26).

    "Os ataques terroristas sobre os quais temos comentado e têm preocupado a comunidade de inteligência foram avaliados como realizados pelo grupo conhecido como EI-K, que tirou a vida de militares norte-americanos de guarda no aeroporto [de Cabul] e feriu gravemente vários outros e também vários civis foram mortos", disse Biden.

    O presidente dos EUA acrescentou que Washington vai caçar os terroristas responsáveis pelos ataques e que eles vão pagar.

    "Àqueles que realizaram o ataque, bem como a qualquer um que queira prejudicar a América, saibam disto: não perdoaremos, não esqueceremos. Vamos caçá-los e fazê-los pagar", garantiu Biden, sublinhando que não há, até o momento, sinais de que houve conluio entre Daesh e o Talibã (organização terrorista, proibida na Rússia e em vários outros países) no ataque.

    O presidente dos EUA disse que ordenou que seus comandantes criassem planos operacionais para atacar os ativos, liderança e instalações do EI-K. "Responderemos com força e precisão, no nosso tempo, no lugar que escolhermos", asseverou.

    Imagem mostra o alegado momento da explosão que ocorreu perto do aeroporto de Cabul
    Imagem mostra o alegado momento da explosão que ocorreu perto do aeroporto de Cabul

    Biden finalizou afirmando que é responsável por tudo o que aconteceu nos últimos dias no Afeganistão.

    Atentado no aeroporto de Cabul

    Nesta quinta-feira (26), pelo menos 72 pessoas morreram e outras 158 foram feridas após dois homens-bomba e pessoas armadas atacaram a multidão que está aglomerada fora do aeroporto de Cabul. Horas depois o grupo Daesh assumiu a responsabilidade pelo ataque. Doze dos mortos eram militares norte-americanos, disseram autoridades dos EUA.

    Joe Biden informou nesta quinta-feira (26) que cerca de 7.000 pessoas deixaram o Afeganistão nas últimas 12 horas e mais de 100.000 nos últimos 11 dias. O presidente norte-americano reafirmou que os EUA vão deixar o Afeganistão em 31 de agosto: "Conhecendo a ameaça, sabendo que podemos muito bem ter outro ataque, os militares concluíram que é isso que devemos fazer. Acho que eles estão certos".

    Mais:

    Afeganistão pode se tornar viveiro do terrorismo após retirada de tropas da OTAN, diz Merkel
    Afeganistão: inteligência dos EUA afirma que Daesh planejava ataque ao aeroporto de Cabul
    Putin e Xi Jinping reforçam luta conjunta contra terrorismo e tráfico de drogas do Afeganistão
    VÍDEO vazado mostra drone dos EUA eliminando civis no Afeganistão em 2019
    Tags:
    Afeganistão, EUA, Joe Biden, Cabul, Daesh, aeroporto, aeroporto, atentado, atentado, Talibã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar