20:21 17 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    142
    Nos siga no

    Hackers por trás da campanha de ciberespionagem da SolarWinds infiltraram as contas de e-mail de alguns dos mais proeminentes escritórios da Procuradoria Federal do país no ano passado, informou o Departamento de Justiça dos EUA na sexta-feira (30).

    O Departamento de Justiça dos EUA afirmou no comunicado que 80% das contas de e-mail da Microsoft usadas por funcionários nos quatro escritórios da Procuradoria em Nova York foram hackeados. Ao todo, o departamento disse que 27 escritórios da Procuradoria tinham pelo menos uma conta de e-mail comprometida durante os ataques cibernéticos.

    As contas foram atacadas de 7 de maio a 27 de dezembro de 2020. Os dados comprometidos incluíam todos os e-mails enviados, recebidos e armazenados e anexos encontrados nessas contas durante esse período.

    O Departamento de Justiça dos EUA decidiu fornecer novos dados sobre o ciberataque em dezembro "para incentivar a transparência e fortalecer a resiliência interna".

    Todas as vítimas foram notificadas e trabalham para mitigar os "riscos operacionais, de segurança e de privacidade" causados pelo ciberataque.

    O departamento não forneceu detalhes adicionais sobre o impacto que o ataque pode ter na situação atual. Em janeiro, a entidade norte-americana disse que não tinha nenhuma indicação de que algum sistema classificado tivesse sido impactado.

    Software SolarWinds

    Em dezembro de 2020, várias instituições norte-americanas foram atacadas através do software SolarWinds. No início de janeiro, a Agência de Segurança Cibernética e Infraestrutura (CISA, na sigla em inglês) publicou uma declaração do Departamento Federal de Investigação (FBI, na sigla em inglês) e outras instituições dos EUA que sugeriu que foi a Rússia quem organizou o ataque cibernético massivo.

    Os alvos dos ataques seriam os dados de inteligência norte-americana. No entanto, foi declarado que os hackers não obtiveram acesso a informações sensíveis. Os Estados Unidos impuseram sanções contra 32 entidades e indivíduos russos. Além disso, proibiram as instituições financeiras norte-americanas de comprar títulos do governo russo a partir de 14 de junho de 2021.

    Por sua vez, o Ministério das Relações Exteriores russo afirmou que as sanções dos EUA atingem os interesses de ambos os países e que as acusações são infundadas.

    Mais:

    Biden alerta sobre possível guerra com Rússia por alegados ciberataques (VÍDEO)
    Membros da Lava Jato tentaram negociar Pegasus para criar 'bunker cibernético' na PGR, diz mídia
    Histórias como caso Pegasus 'vão continuar existindo', opina especialista russo
    Administração Biden acusa China de ciberataque através de vulnerabilidade do Microsoft Exchange
    Tags:
    EUA, Estados Unidos, ataque, ciberataque, Departamento de Justiça, procurador
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar