21:29 21 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    475
    Nos siga no

    Mathias Pierre, ministro das Eleições e das Relações Interpartidárias do Haiti, solicitou ajuda aos EUA e ao Conselho de Segurança da ONU. A última estaria avaliando o pedido, mas Washington afirmou não ter planos de o fazer.

    Os EUA recusaram na sexta-feira (9) o pedido do Haiti de enviar tropas ao país para garantir a segurança de sua infraestrutura, conforme relatado no sábado (10) pela agência britânica Reuters.

    Mathias Pierre, ministro das Eleições e das Relações Interpartidárias do Haiti, informou que o pedido de assistência de segurança aos EUA foi feito em uma conversa entre Claude Joseph, primeiro-ministro haitiano, e Antony Blinken, secretário de Estado norte-americano.

    Segundo a Reuters, o escritório de Claude Joseph enviou na quarta-feira (7) à embaixada dos EUA no Haiti um pedido para que Washington enviasse tropas "a fim de apoiar a polícia nacional no restabelecimento da segurança e na proteção da infraestrutura-chave em todo o país, após o assassinato do [presidente Jovenel] Moïse".

    No entanto, um alto responsável da administração de Joe Biden disse que "não havia planos de fornecer assistência militar dos EUA neste momento".

    O Haiti também solicitou ajuda ao Conselho de Segurança das Nações Unidas.

    "Estamos numa situação em que acreditamos que a infraestrutura do país: o porto, o aeroporto e a infraestrutura energética, podem ser um alvo", disse Pierre à Reuters, acrescentando que outro objetivo é de possibilitar a realização de eleições presidenciais e legislativas, programadas para 26 de setembro.

    José Luis Díaz, porta-voz do Departamento de Assuntos Políticos e de Construção da Paz da ONU, por sua vez, referiu que a missão da organização no Haiti recebeu a carta e que a estava examinando.

    "O envio de tropas em qualquer circunstância seria um assunto a ser decidido pelo Conselho de Segurança", relatou ele, em referência aos 15 membros do Conselho.

    Na manhã de quarta-feira (7) Jovenel Moïse, presidente do Haiti, foi assassinado em uma residência. De acordo com a polícia do país do Caribe, o ato foi perpetrado por um grupo de 28 mercenários, 26 dos quais colombianos, e dois haitianos-americanos. Os últimos se chamavam James Solages, de 35 anos, e Joseph Vincent, de 55 anos, ambos da Flórida, EUA.

    Mais:

    Colômbia comenta prisão de cidadãos implicados em morte do presidente do Haiti
    Assassinato do presidente do Haiti coloca em xeque as missões de paz da ONU envolvendo Brasil?
    Presidente do Haiti Jovenel Moïse é assassinado em sua casa, segundo primeiro-ministro
    Tags:
    Haiti, EUA, Jovenel Moïse, ONU, Reuters, Organização das Nações Unidas, Conselho de Segurança da ONU, Antony Blinken
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar