19:06 02 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    6355
    Nos siga no

    A controversa Segunda Emenda da Constituição dos EUA, que prevê o direito ao porte de armas, resultou ser a causa direta de cerca de 450 tiroteios enquanto os americanos comemoravam o 245º aniversário da independência do país.

    A Xinhua, a agência de notícias estatal da China, publicou nesta terça-feira (6) uma charge política em sua conta do Twitter em que satirizou os efeitos diretos do direito dos americanos de portar armas, em referência aos violentos incidentes ocorridos durante as celebrações do Dia da Independência dos EUA.

    Como a nação de gatilho fácil passa o seu fim de semana de 4 de julho [Dia da Independência nos EUA].

    A charge exibe dois políticos dos EUA brindando à "liberdade" enquanto outra pessoa, que parece ser um bêbado e segura uma pistola e fuzil nas mãos, acrescenta: liberdade "de disparar". Ao seu lado, se pode ver uma lápide com a inscrição: "Mortes por armas de fogo".

    "Com a violência armada acontecendo quase todos os dias, em que medida os direitos humanos poderão ser garantidos? Isso também pode ser chamado de liberdade?", pergunta Zhang Heqing, conselheiro cultural da embaixada da China no Paquistão, comentando a publicação.

    De acordo com a CNN, durante o final de semana passado, pelo menos 150 pessoas morreram nos EUA em resultado de mais de 400 incidentes armados.

    O nível de violência armada na primeira metade de 2021 aumentou quase 40% em Nova York relativamente ao período homólogo de 2020.

    Mais:

    Juiz revoga proibição de posse de armas de assalto na Califórnia que esteve em vigor durante 32 anos
    Biden pede que Congresso tome medidas contra 'epidemia de violência armada' nos EUA
    EUA: Suprema Corte decidirá sobre posse de armas de fogo na rua
    Tags:
    violência urbana, armas de fogo, posse de armas, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar