17:05 31 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    2221
    Nos siga no

    Mais de 90% do oeste dos Estados Unidos está passando por uma seca histórica e potencialmente mortal, apesar de o verão de 2021 ter apenas começado. A maior parte do Arizona, Califórnia, Nevada, Oregon e Utah está lidando com condições climáticas desastrosas e seus efeitos.

    O Monitor de Seca dos EUA publicou um mapa das condições atmosféricas severas que mostra a vasta região norte-americana em uma situação crítica.

    O Sistema Nacional Integrado de Informação sobre Seca (NIDIS, na sigla em inglês) do Escritório Nacional de Administração Oceânica e Atmosférica (NOAA, na sigla em inglês) informou que, pela terceira semana consecutiva os níveis de seca "extrema" e "excepcional" estabeleceram um recorde, 49,7% do oeste dos EUA está nesta categoria.

    ​Caso tenha perdido, o Monitor de Seca foi lançado. Você provavelmente já sabe disso, mas a seca no Oeste não está melhorando. Veja você mesmo:

    "O nível máximo alcançado antes da seca de 2020/2021 foi em 23 de julho de 2002, com 45,3%", de acordo com a agência.

    ​Uma onda de calor no oeste dos Estados Unidos na semana passada quebrou recordes de todos os tempos em sete estados com o termómetro subindo bem para além de 100 graus Fahrenheit. As condições quentes e secas também são favoráveis para os incêndios florestais que surgiram em todo o Oeste.

    Mais de 58 milhões de pessoas são afetadas enquanto a situação piora, e vários governadores têm declarado o estado de emergência à medida que aumentam as temperaturas e o risco de incêndios florestais.

    Mais:

    Rússia, China e Irã humilham EUA durante presidência de Biden, diz Trump
    Engenheiros revelaram ainda em 2018 problemas no prédio que colapsou em Miami, diz jornal
    EUA ameaçam países árabes com sanções se eles decidirem normalizar relações com Síria
    Tags:
    EUA, seca, temperatura, recorde, Califórnia, Arizona, emergência
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar