06:00 01 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    4273
    Nos siga no

    Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, disse ter acordado em conversa telefônica com seu homólogo do Irã aumentar as ligações bilaterais entre os dois países contra os EUA.

    Caracas e Teerã acordaram reforçar a cooperação contra as "agressões imperiais" dirigidas aos povos da Venezuela e do Irã, anunciou na quarta-feira (23) Nicolás Maduro, presidente venezuelano, após conversar com o presidente-eleito iraniano.

    Tive uma conversa telefônica com Seyed Ebrahim Raisi, presidente-eleito da República Islâmica do Irã. Acordamos fortalecer nossos laços de fraternidade e cooperação para avançar na luta conjunta perante as agressões imperiais contra nossos povos.

    Raisi ganhou com facilidade as eleições presidenciais no Irã na semana passada, conquistando quase 62% dos votos e eliminando a necessidade de um segundo turno. Os parceiros estratégicos do Irã, incluindo Rússia e China, parabenizaram Raisi por sua vitória, enquanto os EUA e Israel criticaram a votação, questionando sua imparcialidade ou caracterizando de "carniceiro" o vencedor.

    'Eixo de irritação'

    Autoridades dos EUA e analistas de think tanks em Washington têm expressado regularmente frustração com a parceria estratégica entre Venezuela e Irã, caracterizando a aliança como um "eixo de irritação".

    Na última quinta-feira (17), o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, comentando sobre navios iranianos aparentemente rumando à Venezuela, confirmou que a Casa Branca estava "monitorando a situação", advertindo que os EUA estavam "preparados para alavancar as autoridades aplicáveis, incluindo sanções, contra qualquer ator que permita o contínuo fornecimento de armas do Irã a parceiros e agentes violentos em todo o mundo".

    No entanto, a Venezuela não tem travado nenhuma guerra desde a Segunda Guerra Mundial, enquanto o Irã não provoca uma guerra desde 1795. Além disso, sob a lei internacional, Washington não tem o direito de realizar ações contra navios iranianos que operam em águas internacionais.

    Mais:

    Capacidades da Marinha iraniana são 'extremamente preocupantes' para os inimigos, diz comandante
    Navegação de navios iranianos no Atlântico: ameaça militar aos EUA ou legítimo direito marítimo?
    EUA avisam Cuba e Venezuela para não permitirem que navios do Irã atraquem em seus portos, diz mídia
    Tags:
    Twitter, Nicolás Maduro, Venezuela, Irã, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar