13:50 31 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Mundo enfrentando SARS-CoV-2 no final de junho de 2021 (20)
    17842
    Nos siga no

    Jake Sullivan, conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, disse neste domingo (20) em entrevista à Fox News que Pequim enfrentará "o isolamento na comunidade internacional" se não cooperar com a investigação sobre a origem da pandemia de COVID-19.

    "Esse trabalho diplomático - unir as nações do mundo, impondo pressão política e diplomática sobre a China - é parte central do esforço que estamos empreendendo para, em última instância, colocar a China ante uma escolha difícil: ou eles permitirão, de forma responsável, que os investigadores façam um verdadeiro trabalho de descobrir de onde isto veio, ou enfrentarão o isolamento na comunidade internacional", afirmou Sullivan.

    O conselheiro de Segurança Nacional não esclareceu como Pequim impediu que a investigação anterior fosse conduzida com transparência, uma vez que China já permitiu a uma equipe de cientistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) conduzir uma investigação na cidade chinesa de Wuhan em janeiro e fevereiro de 2021.

    O grupo de cientistas da OMS concluiu que era altamente improvável que o vírus tivesse tido origem em um laboratório, sugerindo que teria passado de animais selvagens para humanos.

    Seguranças vigiam o Instituto de Virologia de Wuhan, na província de Hubei, China. Foto de arquivo
    © REUTERS / Thomas Peter
    Seguranças vigiam o Instituto de Virologia de Wuhan, na província de Hubei, China. Foto de arquivo

    Sullivan esclareceu que os EUA não dependem apenas da China para a investigação da origem do coronavírus.

    "O presidente se reserva o direito [de determinar] através de nossa própria análise, dos esforços de nossa própria comunidade de inteligência que ele dirigiu e através de outro trabalho que faremos com aliados e parceiros, para continuar pressionando em todas as frentes até chegarmos ao fundo da questão de como este vírus veio ao mundo", ressaltou ele.

    Em maio deste ano, o presidente dos EUA Joe Biden anunciou que dava 90 dias às agências de inteligência dos EUA para compilar um relatório sobre a origem do coronavírus, que ele se comprometeu a tornar público.

    Tema:
    Mundo enfrentando SARS-CoV-2 no final de junho de 2021 (20)

    Mais:

    Descobertos na China 4 novos coronavírus aparentados com SARS-CoV-2
    Diplomacia chinesa do 'guerreiro lobo' é uma 'defesa justificada', diz embaixador
    Próxima etapa de procura por origem da COVID-19 deve ser focada nos EUA, diz epidemiologista chinês
    Tags:
    China, investigação científica, Joe Biden, EUA, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar