07:05 02 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    783
    Nos siga no

    A Venezuela denunciou a "sistemática agressão ao direito à alimentação" de seu povo por parte dos EUA e seus aliados, acrescentando que tais medidas podem ser classificadas como crimes contra a humanidade.

    A importação de alimentos pela Venezuela caiu cerca de 84% devido às sanções impostas ao país sul-americano, denunciou nesta terça-feira (15) o ministro da Alimentação venezuelano, Carlos Leal Tellería, durante seu discurso na 42ª Conferência da Organização das Nações Unidas para o Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla em inglês).

    O ministro indicou que o objetivo de tais ações é impedir que a Venezuela tenha acesso a recursos, bens e serviços para atender às necessidades de sua população, mediante a imposição ilegal de sanções unilaterais, que podem ser classificadas como crimes contra a humanidade. A Venezuela garante que, como resultado das sanções, o rendimento nacional diminuiu 99%.

    "Estas medidas geraram uma queda nas importações de alimentos em 83,7%, impedindo a compra internacional de matérias-primas, produtos acabados e insumos para a produção agrícola", disse Leal Tellería, citado pela agência Prensa Latina.

    O ministro indicou que os EUA e seus aliados continuam perseguindo seu país.

    Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, segura cruz feita de folhas de palmeira durante pronunciamento em Caracas
    © REUTERS / Palácio Miraflores
    Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, segura cruz feita de folhas de palmeira durante pronunciamento em Caracas
    "Há uma campanha de agressão sistemática contra o direito à alimentação do povo venezuelano promovida pelo governo dos EUA e seus aliados mesmo em meio à pandemia de COVID-19, aplicando perseguição, extorsão e bloqueio para impedir o acesso da Venezuela aos recursos, bens e serviços essenciais para atender às necessidades de sua população", comentou.

    Leal Tellería afirmou que apesar das medidas coercivas, o governo venezuelano tem promovido programas alimentares para aumentar a produção nacional.

    Em fevereiro de 2020, a Venezuela apresentou ao Tribunal Penal Internacional uma denúncia contra os EUA por considerar que as sanções contra Caracas constituem crimes contra a humanidade e ataques generalizados a cidadãos da nação sul-americana.

    Mais:

    Venezuela aprova uso da Sputnik Light, a vacina de dose única da Rússia
    Venezuela: 8 soldados foram capturados por grupos irregulares colombianos
    Após 1º voo Moscou-Caracas, Venezuela espera 'fortes laços' com a Rússia, diz ministro
    Mídia: EUA monitoram belonaves do Irã rumando supostamente à Venezuela em 'ato provocativo'
    Tags:
    FAO, alimentação, alimentos, alimentos, sanções econômicas, sanções, sanções, EUA, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar