02:13 21 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1140
    Nos siga no

    "Escrevi ontem para Biden para informar minha decisão de me aposentar do serviço público depois de 30 anos de carreira, por razões pessoais positivas", escreveu no Twitter o embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman.

    O embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman, utilizou a rede social Twitter para anunciar que informou na quarta-feira (9) ao presidente dos EUA, Joe Biden, que vai se aposentar.

    O diplomata afirmou que passará os próximos 30 dias no Brasil "fazendo ativamente minha parte como embaixador dos EUA para continuar avançando na relação Brasil-EUA" na "direção positiva" e depois cessará as atividades. Em outra postagem, Chapman disse ter "grande admiração, respeito e carinho pelo Brasil e pelo povo brasileiro".

    Todd Chapman é embaixador dos EUA desde março de 2020, quando o presidente norte-americano ainda era o republicano Donald Trump (2017-2021). O diplomata justifica a decisão dizendo que este "este é o momento propício" para ir para Denver, no estado norte-americano do Colorado, para "viver mais perto de nossos dois filhos e nora".

    O embaixador conclui agradecendo o povo brasileiro: "Obrigado amigos brasileiros, a gente se vê!".

    Avisos e ultimatos

    Em julho do ano passado, o embaixador Todd Chapman afirmou que empresas norte-americanas poderiam rejeitar investimento no Brasil caso o país escolhesse a chinesa Huawei para construir a rede 5G no país. 

    "Eu diria que represálias não, consequências sim [...]. Cada país é responsável por suas decisões. As consequências que estamos vendo no mundo é que há um receio de empresas que estão baseadas na propriedade intelectual de fazer investimentos em países onde essa propriedade intelectual não seja protegida", afirmou o diplomata norte-americano na ocasião.

    Em fevereiro deste ano, já sob a presidência do democrata Joe Biden, Chapman disse que a Casa Branca queria construir boas relações com o governo Bolsonaro na questão climática. 

    Reunião entre o presidente Jair Bolsonaro e Todd Chapman, embaixador dos Estados Unidos no Brasil.
    © Foto / Alan Santos/Divulgação/Palácio do Planalto
    Reunião entre o presidente Jair Bolsonaro e Todd Chapman, embaixador dos Estados Unidos no Brasil.
    "Realmente a administração do meu novo presidente, Biden, está enfatizando muito a importância da mudança climática. Nós queremos ser bons parceiros do Brasil nisso, como já estamos trabalhando muito", afirmou o embaixador.

    Pouco antes da Cúpula de Líderes sobre o Clima, que ocorreu em abril, o diplomata norte-americano afirmou que aquela era a última chance do Brasil mostrar que se preocupava com o desmatamento na Amazônia.

    "As relações entre nossos países dependerão muito dessa postura ambiental do Brasil", afirmou o embaixador durante uma reunião virtual privada em 11 de abril com políticos, economistas, diplomatas e empresários brasileiros.

    Na ocasião, o embaixador norte-americano disse que o Brasil se tornaria "herói" se fizesse uma "declaração contundente" na Cúpula de Líderes sobre o Clima e retomasse seu papel de protagonista no debate sobre meio ambiente.

    Mais:

    Brasil deve chegar a 575 mil mortes pela COVID-19 até o fim de julho, aponta estudo dos EUA
    Se Brasil mantivesse política ambiental, não haveria pressão dos EUA, opina especialista
    Brasil não precisa de permissão dos EUA para comandar seu 'próprio quintal', diz Lula
    Políticos norte-americanos cobram governo Biden sobre posição dos EUA durante Lava Jato no Brasil
    Tags:
    Conferência sobre o Clima, tecnologia 5G, 5G, Huawei, China, embaixador, EUA, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar