00:32 15 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Mundo em meio à pandemia da COVID-19 no fim de maio de 2021 (61)
    1102
    Nos siga no

    A Argentina anunciou que entrará em regime de confinamento para tentar evitar uma nova onda de COVID-19, após recordes de infecções e mortes diárias.

    De acordo com o presidente Alberto Fernández, as restrições mais duras vão durar nove dias. A partir deste sábado (22), a maioria dos argentinos poderá sair de casa apenas entre 6 horas e 18 horas.

    Além disso, segundo o jornal Clarín, há restrições para escolas e serviços não essenciais, que devem fechar. Eventos sociais, religiosos e esportivos, como o campeonato argentino de futebol, também ficam proibidos.

    "Estamos vivendo o pior momento desde o início da pandemia", disse o presidente argentino, Alberto Fernández, ao anunciar as novas medidas nesta sexta-feira (21). "Hoje como nunca antes, devemos todos cuidar de nós mesmos para evitar todas as perdas que pudermos."

    Nesta semana, a Argentina bateu seus recordes na pandemia. Na terça-feira (18), atingiu 744 mortes. Na quarta-feira (19), registrou 39.652 novos casos de COVID-19 em 24 horas.

    Alberto Fernández: ​"É decisivo que a autoridade de cada jurisdição faça cumprir estritamente as regras que ditamos". "Vamos restringir a circulação em todas as áreas do país enquadradas em alarme epidemiológico ou de alto risco de sábado [22] ao dia 30 de maio".

    Em relação à sua população de 45 milhões, essas são algumas das taxas diárias mais altas do mundo. Os funcionários do hospitais também estão sobrecarregados.

    Na capital e nas províncias de Buenos Aires, Córdoba e Neuquén, a ocupação nos leitos de UTIs supera os 90%, segundo um levantamento da Sociedade Argentina de Tratamento Intensivo (Sati).

    Segundo especialistas citados pela reportagem do Clarín, a disseminação das variantes mais contagiosas do Reino Unido e do Brasil durante uma lenta campanha de vacinação alimentou o ritmo das novas infecções.

    Pessoas carregam um caixão no cemitério de Flores, em meio ao surto da COVID-19 em Buenos Aires, Argentina, 21 de abril de 2021.
    © REUTERS / AGUSTIN MARCARIAN
    Pessoas carregam um caixão no cemitério de Flores, em meio ao surto da COVID-19 em Buenos Aires, Argentina, 21 de abril de 2021

    Tema:
    Mundo em meio à pandemia da COVID-19 no fim de maio de 2021 (61)

    Mais:

    'Grande problema chamado AstraZeneca': chanceler da Argentina lamenta atraso na entrega de vacinas
    Desaceleração econômica está alimentando uso de criptomoedas na Argentina
    Quais as consequências do fim do pacto do transporte naval do Brasil com Argentina e Uruguai?
    Tags:
    pandemia, COVID-19, lockdown, Associação de Futebol da Argentina (AFA), crise na Argentina, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar