22:19 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 02
    Nos siga no

    Em 6 de janeiro, apoiadores de Trump, entre eles muitos adeptos do QAnon, invadiram o Congresso dos EUA para protestar contra a certificação dos votos no democrata Joe Biden no Colégio Eleitoral.

    A Câmara dos Representantes dos EUA votou na quarta-feira (19) a favor da criação de uma comissão independente para investigar o ataque ao Capitólio dos EUA, em 6 de janeiro, que deixou cinco mortos, incluindo um policial.

    A comissão aprovada na Câmara teve 252 votos a favor e 175 contra e agora vai para o Senado, onde seu futuro é incerto, uma vez que no Senado há o mesmo número de democratas e republicanos. O Senado é controlado pelos democratas apenas porque a vice-presidente Kamala Harris pode dar votos de desempate. São necessários pelo menos 60 votos para que um projeto tenha luz verde.

    O líder republicano do Senado, Mitch McConnell, afirmou na quarta-feira (19) que não vai apoiar o projeto da Câmara, chamando-o de "proposta tendenciosa e desequilibrada dos democratas da Câmara", acrescentando que as investigações existentes no Congresso são suficientes.

    Mitch McConnell, líder da minoria republicana do Senado dos EUA, dirige-se ao Senado em Washington, EUA, 19 de abril de 2021
    © REUTERS / Evelyn Hockstein
    Mitch McConnell, líder da minoria republicana do Senado dos EUA, dirige-se ao Senado em Washington, EUA, 19 de abril de 2021

    "Não haverá falta de investigações robustas", concluiu McConnell, que em janeiro disse que a multidão que atacou o Capitólio foi "alimentada com mentiras" e "provocada" pelo ex-presidente Donald Trump, reporta a agência Reuters.

    Invasão do Congresso dos EUA

    Em 6 de janeiro, apoiadores de Trump, entre eles muitos adeptos do QAnon, um movimento e uma teoria da conspiração que alegava que Trump lutava contra um grupo liberal global de pedófilos satanistas, invadiram o Congresso dos EUA para protestar contra a certificação dos votos no democrata Joe Biden, que venceu o pleito de 3 de novembro de 2020, no Colégio Eleitoral.

    Membro de teoria de conspiração favorável a Trump discute com agente de Segurança do país durante invasão do Capitólio, Washington, 6 de janeiro de 2021
    © AP Photo / Manuel Balce Ceneta
    Membro de teoria de conspiração favorável a Trump discute com agente de Segurança do país durante invasão do Capitólio, Washington, 6 de janeiro de 2021

    Trump pediu na terça-feira (18) que os republicanos votassem contra a proposta, chamando-a de "armadilha" inspirada pela "esquerda radical".

    Repercutindo a aprovação do projeto na Câmara, o líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, afirmou que agendará um debate sobre a legislação. Schumer acusou os líderes republicanos de "ceder a Donald Trump e provar que o Partido Republicano ainda está bêbado da Grande Mentira" de que a eleição presidencial dos EUA de 2020 foi roubada de Trump por meio de fraude eleitoral em massa.

    Mais:

    Relatório sugere mudanças profundas na segurança do Capitólio após invasão em janeiro
    Insurreição no Capitólio 2.0? Forças de segurança de Israel estudam como evitar cenário no Knesset
    Carro avança contra policiais no Capitólio dos EUA; feridos são levados para hospital (VÍDEO)
    EUA pedem conselhos a Israel após último ataque ao Capitólio, diz mídia
    Tags:
    Senado dos EUA, Câmara dos EUA, Joe Biden, Donald Trump, Washington, DC, Capitólio dos EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar