22:24 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 71
    Nos siga no

    A Procuradoria-Geral de New York informou hoje (18) que está realizando uma investigação criminal sobre as organizações do ex-presidente dos EUA, Donald Trump, expandindo um caso que vinha sendo tratado apenas no âmbito civil.

    "Informamos à Organização Trump que a nossa investigação sobre a companhia não é mais um caso puramente civil em sua natureza", disse Fabien Levy, porta-voz da procuradora-geral de Nova York Letitia James, citado pela imprensa norte-americana.

    "Agora estamos investigando ativamente a Organização Trump em âmbito criminal, junto com a Procuradoria do Distrito de Manhattan", acrescentou.

    Agora, a Procuradoria estadual trabalhará junto com distrital, que já vinha investigando Trump e sua companhia há dois anos por suspeita de "conduta criminosa possivelmente extensa e prolongada", incluindo fraude fiscal e de seguros, além da suposta falsificação de registros comerciais.

    A procuradora-geral do estado de Nova York, Letitia James, em coletiva de imprensa
    © AP Photo / Richard Drew
    A procuradora-geral do estado de Nova York, Letitia James, em coletiva de imprensa

    A investigação da Procuradoria-Geral de Nova York

    A investigação civil foi iniciada pelo procuradora-geral de Nova York Letitia James em março de 2019. Ela está investigando se a empresa de Trump inflou indevidamente o valor de seus ativos nos registros financeiros.

    Além disso, a Procuradoria-Geral de Nova York emitiu intimações aos governos locais em busca de documentos em várias propriedades da Organização Trump em Manhattan, no interior do estado de Nova York, em Chicago e Los Angeles.

    O ex-presidente dos EUA, por sua vez, classificou essa investigação como "assédio por motivação política".

    A investigação do Distrito de Manhattan

    Já a investigação criminal da Procuradoria Distrital de Manhattan foi desencadeada quando o ex-advogado de Trump, Michael Cohen, comprou o silêncio de duas mulheres que alegavam manter casos com o ex-presidente antes das eleições de 2016.

    Além disso, há indícios de que a Procuradoria Distrital, que é comandada por Cyrus Vance, também teria examinado os registros fiscais de Trump obtidos em fevereiro.

    Por sua vez, o ex-presidente sempre negou qualquer irregularidade, classificando a investigação como uma "caça às bruxas". Sobre os pagamentos feitos às mulheres em 2016, Trump insistiu que eram legais e que não foram desviados da verba de campanha, mas foram pagos do seu próprio bolso.

    Mais:

    Ex-agente da inteligência britânica produz novo dossiê sobre Trump para FBI, diz mídia
    Após promessa, Trump lança nova plataforma de mídia social
    Twitter bloqueia conta por publicar postagens idênticas às do blog de Trump
    Tags:
    investigação, Organização Trump, Donald Trump, EUA, justiça
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar