20:18 19 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 80
    Nos siga no

    A empresa ferroviária Union Pacific (UP) comunicou que dois vagões apresentam vazamentos de ácido clorídrico depois de um de seus trens descarrilar neste sábado (15) em Minnesota, nos EUA.

    De acordo com a Fox 9, inicialmente a Polícia informou sobre o descarrilamento de 50 vagões, porém, um porta-voz da empresa assegurou que apenas 28 vagões haviam descarrilado.

    Além disso, detalhou que o trem de carga transportava "produtos básicos misturados", inclusive dois com a mencionada substância química, sem precisar a quantidade de ácido vazado.

    Até o momento não há informações de feridos e as autoridades afirmaram que "não há nada no ar" na região do acidente. Contudo, recomendam que os moradores da área permaneçam em suas casas.

    ​A Sky4 [está] sobre a cena de um trem da Union Pacific que descarrilou em Albert Lea. 28 vagões saíram dos trilhos, as autoridades ainda estão trabalhando para determinar o que havia neles. Uma equipe de Hazmat está dando assistência.

    Diversas equipes da Divisão de Resposta a Emergências de Materiais Perigosos estão no local do acidente para realizar uma limpeza na área, como é possível observar em um vídeo divulgado pelas mídias locais.

    "A Union Pacific está mobilizando suas equipes enquanto conversamos e conseguiram [realizar] esse processo de limpeza", explicou Rich Hall, gerente de emergências do condado de Freeborn, assegurando que o episódio não representa qualquer ameaça à população.

    Uma investigação está em andamento para apurar a causa do acidente, bem como do vazamento da substância química altamente corrosiva.

    Mais:

    Trem pega fogo após descarrilar perto da fronteira entre EUA e Canadá (VÍDEOS)
    Trem de mísseis nucleares intercontinentais é 'pesadelo para EUA', diz especialista militar
    VÍDEO mostra colisão entre trem e caminhão no Texas, nos EUA
    Tags:
    ácido clorídrico, ácido, acidente, vagão, eua, trem
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar