03:53 18 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    171
    Nos siga no

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acentuou que os Estados Unidos não possuem moral para opinar sobre nomeações no Conselho Nacional Eleitoral (CNE), dizendo que no país norte-americano as eleições não são democráticas.

    O líder venezuelano fez estes comentários nesta quarta-feira (5), expressando sua satisfação pela designação de novas autoridades no Conselho Nacional Eleitoral.

    "Nos Estados Unidos, as eleições são feitas pelos governadores, o secretário-geral do governo, chamado secretário de Estado, é o organismo eleitoral nas eleições dos EUA e vêm eles opinarem sobre o sistema eleitoral da Venezuela, [eles] não têm moral para opinar sobre o Poder Eleitoral nem sobre o Poder Legislativo", expressou Maduro em um discurso transmitido pelo canal de televisão venezuelano VTV CANAL 8.

    O presidente assegurou que a Venezuela é um país que tem uma vida democrática irrepreensível, apesar da campanha contrária que os EUA promovem.

    Maduro indicou que as nomeações no CNE formam parte do acordo político de seu governo com a oposição.

    "Foi um acordo político, como deve ser, dialogado e negociado com todos os setores da oposição, que produziu um CNE muito forte do ponto de vista de sua institucionalidade, com membros de um grande prestígio profissional, de uma grande diversidade, que agora passam a formar parte de uma instituição fundamental", ressaltou.

    "Todo o apoio como chefe de Estado a este poder do Estado venezuelano, e felicito a Assembleia Nacional por isso", comentou.

    Na terça-feira (4), o Parlamento designou cinco reitores principais e dez suplentes para o Conselho Nacional Eleitoral. O novo CNE se encarregará de organizar as eleições regionais e municipais previstas para este ano.

    Mais:

    'Ninguém responde': Maduro se irrita com descaso do Facebook a apelos por bloqueio de sua conta
    Presidente do Equador acusa Nicolás Maduro de se intrometer nas manifestações colombianas
    EUA não descartam sanções se não houver mudanças por parte de Maduro
    Tags:
    democracia, EUA, Venezuela, Nicolas Maduro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar