03:28 12 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    172
    Nos siga no

    O ex-agente da CIA afirmou que as declarações da nova administração dos EUA sobre a liberdade de imprensa seriam "mais persuasivas" se a Casa Branca não "buscasse agressivamente uma sentença de 175 anos" para o fundador do WikiLeaks.

    Edward Snowden, ex-agente da CIA e da Agência de Segurança Nacional dos EUA, criticou nesta terça-feira (4) a administração Biden por seguir desejando prender Julian Assange, apesar de o secretário de Estado, Antony Blinken, ter assegurado, em meio ao Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, que Washington defende "a liberdade de imprensa" e "a segurança dos jornalistas".

    Em resposta à publicação de Blinken, Snowden tweetou em sua conta:

    Seria mais persuasivo se a Casa Branca não estivesse buscando agressivamente uma sentença de 175 anos para o editor de jornalismo premiado de importância global – apesar de apelos de todas as organizações significantes de liberdade de imprensa e de direitos humanos:

    No Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, os Estados Unidos continuam defendendo a liberdade de imprensa, a segurança de jornalistas em todo o mundo e o acesso à informação on-line e off-line. Uma imprensa livre e independente garante que o público tenha acesso à informação. Conhecimento é poder.

    Em fevereiro, o jornal The New York Times escreveu que a administração Biden pretenderia conseguir a extradição de Julian Assange do Reino Unido, seguindo os passos da administração anterior, e que o Departamento de Justiça já apresentou uma carta apelando a um tribunal britânico para que anulasse a sentença que bloqueou a extradição do ativista aos Estados Unidos.

    Julian Assange, fundador do WikiLeaks, detido pela polícia do Reino Unido
    © Foto / Ruptly
    Julian Assange, fundador do WikiLeaks, detido pela polícia do Reino Unido

    Em 4 de janeiro, a juíza britânica distrital, Vanessa Baraitser, rejeitou a extradição de Assange aos EUA por medo de o fundador do WikiLeaks cometer suicídio devido à sua delicada saúde mental, que seria agravada pelo isolamento a que provavelmente seria submetido em uma prisão norte-americana.

    Julian Assange, de 49 anos de idade, é acusado de espionagem e pirataria informática pela publicação, desde 2010, de centenas de milhares de páginas de documentos militares e mensagens diplomáticas sobre as atividades dos EUA nas guerras no Iraque e Afeganistão, que foram difundidas pelo seu portal WikiLeaks. As acusações implicam uma sentença máxima de 175 anos de prisão.

    Atualmente, o ativista se encontra encarcerado na prisão de segurança máxima de Belmarsh, no Reino Unido.

    Mais:

    Tribunal de Londres nega liberar Assange sob fiança
    Prisão de Assange abala discurso de liberdade de imprensa do Reino Unido, diz chefe do WikiLeaks
    Rafael Correa quer impeachment de Lenín Moreno por 'traição' no caso Assange
    Tags:
    WikiLeaks, Edward Snowden, prisão de Julian Assange, Julian Assange
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar