06:53 12 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    135
    Nos siga no

    A agência federal que supervisiona a pesquisa nuclear dos EUA assinou a primeira fase de planejamento e design de um projeto multibilionário de fabricação de componentes essenciais para o arsenal nuclear do país.

    A Administração Nacional de Segurança Nuclear (NNSA, na sigla em inglês) dos EUA anunciou na quarta-feira (28) que o planejamento e a construção de um novo projeto de fabricação de componentes essenciais para o arsenal nuclear de Washington podem custar, inicialmente, mais de US$ 4 bilhões (aproximadamente R$ 21 bilhões), reporta agência Associated Press.

    A agência federal não detalha como o montante seria gasto, nem inclui o custo de outros preparativos que seriam necessários para que o Laboratório Nacional de Los Alamos (LANL, na sigla em inglês), berço do programa nuclear dos EUA, comece a produzir 30 núcleos de plutônio por ano.

    A mídia recorda que o impulso para retomar os planos nucleares abrangeu várias administrações presidenciais, com defensores argumentando que os EUA precisam garantir a estabilidade e a confiança de seu arsenal, dadas as crescentes preocupações com a segurança global. A NNSA afirma que a maioria dos núcleos de plutônio no estoque norte-americano são das décadas de 1970 e 1980.

    Nuvem em forma de cogumelo que surgiu após os testes da arma Ivy Mike sobre o Pacífico, 1º de novembro de 1952 (imagem de arquivo)
    © AP Photo / Laboratório Nacional de Los Alamos
    Nuvem em forma de cogumelo que surgiu após os testes da arma Ivy Mike sobre o Pacífico, 1º de novembro de 1952 (imagem de arquivo)

    Grupos fiscalizadores contra iniciativa

    Grupos fiscalizadores têm soado alarmes sobre o potencial para mais falhas de segurança e proteção no LANL, que fica no norte do Novo México, e o potencial de contaminação ambiental. Outra preocupação são os resíduos nucleares que seriam gerados pela obra.

    "As instalações do LANL são simplesmente muito antigas e inerentemente inseguras, sua localização muito impraticável […]. Mesmo com um estoque muito menor, LANL não poderia realizar esta missão com sucesso", afirma à mídia Greg Mello, do Grupo de Estudo Los Alamos.

    Os grupos fiscalizadores argumentam ainda que a estimativa de custo delineada pela agência em sua decisão é quase o dobro das projeções feitas no ano passado.

    Jay Coghlan, da Vigilância Nuclear do Novo México, chamou os planos do governo federal de "desnecessários e provocativos", dizendo que mais produção resultará em mais desperdício e ajudará a alimentar uma nova corrida armamentista.

    A agência nuclear, por sua vez, disse em comunicado que espera definir linhas de base de custo e cronograma em 2023 como parte do processo em andamento. A NNSA acrescenta que também planeja continuar revisando o projeto "para melhorar a fidelidade" das estimativas de preço e cronograma.

    Mais:

    Israel está preocupado com EUA querendo 'retornar ao acordo nuclear a qualquer custo'
    Rússia anuncia início de exercícios no Ártico que envolvem submarinos nucleares (VÍDEO)
    'Interessados em chegar a um acordo': UE afirma progresso no pacto nuclear entre Washington e Teerã
    Irã afirma não estar disposto a fazer quaisquer concessões fora do acordo nuclear
    Tags:
    Novo México, NNSA, EUA, risco nuclear, arma nuclear, nuclear
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar