15:10 11 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Mundo enfrenta pandemia no fim de abril de 2021 (77)
    113
    Nos siga no

    Nesta terça-feira (27), o presidente norte-americano, Joe Biden, prometeu para a semana que vem um plano de seu governo para tornar a vida nos Estados Unidos "mais próxima do normal" em meio à pandemia da COVID-19.

    A promessa do presidente norte-americano veio em uma entrevista coletiva e aponta o dia em que se comemora a independência dos EUA, 4 de julho, como data para a concretização do plano.

    "Na próxima semana, traçarei o caminho a seguir para continuar nossa luta contra a COVID-19 para nos levar até 4 de julho, que é nossa data prevista para deixar a vida nos EUA mais perto do normal", disse Biden durante a entrevista.

    O presidente norte-americano destacou que dois terços dos idosos dos EUA estão totalmente vacinados contra o novo coronavírus e disse que o número de casos e mortes diminuiu drasticamente no país.

    Monumento em memória das 500.000 mortes devido à COVID-19 em Washington, EUA, 24 de fevereiro de 2021
    © REUTERS / Joshua Roberts
    Monumento em memória das 500.000 mortes devido à COVID-19 em Washington, EUA, 24 de fevereiro de 2021

    Biden destacou ainda que cerca de 215 milhões de doses de vacinas contra a COVID-19 foram administradas nos EUA desde 20 de janeiro, quando ele assumiu o cargo. Apesar de destacar os avanços, Biden alertou que as máscaras ainda devem ser usadas durante eventos ao ar livre lotados, bem como em ambientes fechados.

    Mesmo com a melhora no quadro local, os EUA continuam sendo o país mais impactado pela COVID-19, em números absolutos de mortes e de casos confirmados. Conforme dados da Universidade Johns Hopkins, os EUA acumulam até agora 32.152.531 casos confirmados de COVID-19 e 573.044 mortes causadas pela doença.

    Tema:
    Mundo enfrenta pandemia no fim de abril de 2021 (77)

    Mais:

    EUA vacinaram mais de 100 milhões de pessoas contra a COVID-19
    Médico rejeita previsão de universidade dos EUA: 'Brasil pode evitar 600 mil óbitos pela COVID-19'
    Militares dos EUA aplicarão vacinas contra a COVID-19 em detentos de Guantánamo
    COVID-19: presos dos EUA são monitorados após receberem até 6 vezes dosagem da vacina da Pfizer
    Tags:
    Estados Unidos, Joe Biden, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar