11:31 15 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Situação da COVID-19 em meados de abril no mundo (75)
    7553
    Nos siga no

    Nesta terça-feira (20), a Argentina se tornou o primeiro país latino-americano a iniciar a produção local da vacina russa Sputnik V contra a COVID-19. A expectativa é de que o imunizante possa ser exportado para países da região.

    O Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo) e a empresa farmacêutica Laboratórios Richmond SACIF anunciaram nesta terça-feira (20) a produção do primeiro lote da vacina russa Sputnik V na Argentina.

    O RFPI e parceiros facilitaram a transferência de tecnologia para os Laboratórios Richmond para que a produção local fosse iniciada. O primeiro lote será enviado ao Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya (Centro Gamaleya), na Rússia, para controle de qualidade.

    Em comunicado do RFPI, o presidente argentino Alberto Fernández comentou o início da produção local do imunizante desenvolvido pelo Centro Gamaleya.

    "Nós estamos muito empolgados com a possibilidade de produzir a Sputnik V na Argentina, a vacina com a qual já estamos protegendo uma grande parte da população com excelentes resultados. Será uma grande oportunidade para avançar na luta contra a pandemia não apenas na Argentina, mas também na América Latina", afirmou Fernández, segundo o comunicado.

    A produção em larga escala do imunizante na Argentina deve começar ainda em junho deste ano. A expectativa é de que a Sputnik V produzida no país possa ser exportada para outras nações da América Central e Latina em um estágio posterior.

    O avião que realiza o transporte da vacina Sputnik V para a Argentina
    © Sputnik
    O avião que realiza o transporte da vacina Sputnik V para a Argentina

    O presidente dos Laboratórios Richmond, Marcelo Figueiras, se comprometeu a "facilitar a disponibilidade da vacina no menor tempo possível para a Argentina e toda a região da América Latina". Um vídeo mostrando a linha de produção da vacina na Argentina foi publicado pelo perfil oficial do imunizante.

    ​O RFPI e os Laboratórios Richmond iniciaram a produção da Sputnik V na Argentina, o primeiro país da América Latina a fabricar a Sputnik V. Veja este vídeo exclusivo dos primeiros frascos da Sputnik V saindo da linha de produção na fábrica dos Laboratórios Richmond.

    A Argentina foi o primeiro país latino-americano a registrar oficialmente a Sputnik V, sendo que o uso da vacina no país teve início em 29 de dezembro de 2020. Além do país sul-americano, outros 59 países já registraram o imunizante,  abrangendo uma população total de três bilhões de pessoas. Dados recentes apontam que a vacina alcançou 97,6% de eficácia na Rússia.

    Tema:
    Situação da COVID-19 em meados de abril no mundo (75)

    Mais:

    COVID-19: Portugal pode em breve começar a produzir vacina russa Sputnik V, diz mídia
    Anvisa envia documentos ao STF e aponta incertezas e 'pontos críticos' sobre a vacina Sputnik V
    Desenvolvedores da Sputnik V pedem que reguladores examinem estudo de Oxford sobre trombose
    Tags:
    Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI), Alberto Fernández, Sputnik V, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar