18:21 14 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de abril de 2021 (58)
    4141
    Nos siga no

    O presidente da Argentina, Alberto Fernández, que testou positivo para a COVID-19 em 3 de abril, destacou a "tranquilidade" que enfrenta a doença por ter recebido a vacina russa Sputnik V.

    Através de um post nas redes sociais em que agradece a mensagem de votos de recuperação do presidente da Espanha, Fernández diz que "enfrenta a doença com tranquilidade graças à imunidade que possui com a Sputnik V".

    Muito obrigado caro amigo presidente do Reino da Espanha, Pedro Sánchez. Enfrento a doença com tranquilidade graças à imunidade que a Sputnik V me deu. Espero que continuemos a aprofundar os laços que unem nossas pátrias. Nossa amizade deve ajudar a alcançá-lo

    O presidente argentino recebeu a primeira dose da Sputnik V no dia 21 de janeiro e a segunda no dia 10 de fevereiro.

    Os desenvolvedores da vacina russa Sputnik V asseguraram no último sábado (3) que a vacinação o protegerá das formas graves da doença.

    De acordo com o Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo), "com base em mais de um milhão de residentes de Moscou vacinados com a Sputnik V, menos de 0,1% desenvolveram infecção por COVID-19 mais de duas semanas após a vacinação completa. Desses casos, 76% são totalmente assintomáticos ou leves".

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de abril de 2021 (58)

    Mais:

    Cientistas russos conseguem modernizar vacina Sputnik V em 2 dias para vencer novas cepas
    Idosa de 106 anos é vacinada com Sputnik V na Rússia
    Peru negocia com a Rússia compra de 20 milhões de doses da Sputnik V
    Bolsonaro pretende ligar para Putin para falar sobre Sputnik V, diz colunista
    Sputnik V protege melhor contra cepa sul-africana do que vacina da Pfizer, diz fonte
    Tags:
    pandemia, imunizante, imunização, imunidade, vacinação, vacina, Sputnik V, Argentina, Alberto Fernández, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar