22:11 20 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de abril de 2021 (58)
    1120
    Nos siga no

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse neste domingo (4) que veículos de imprensa internacionais demonizam a pandemia no país e não reconhecem os êxitos do governo. 

    "The New York Times e Miami Herald, todos esses jornais estão a serviço de uma campanha permanente contra a Venezuela, contra nossa revolução, não são capazes de reconhecer nenhum avanço, nenhuma conquista, nenhum sucesso na luta que travamos contra a pandemia", afirmou o chefe de Estado. 

    Ao mesmo tempo, segundo Maduro, a mídia estrangeira não vê problemas na gestão da pandemia de outros países, como Brasil, Colômbia e Estados Unidos. 

    "Nos demonizam permanentemente, mas não vêm o cisco em seus olhos, o cisco do Brasil, o cisco da Colômbia, o cisco do Peru, o cisco do Paraguai, dos Estados Unidos e da Europa", disse o presidente em cadeia de rádio e televisão. 

    Quarentena

    Maduro afirmou que, caso tivesse adotado o toque de recolher na Venezuela para frear o avanço do coronavírus, como ocorreu em outros países, a mídia internacional diria que o governo se aproveitou da pandemia para implementar restrições à circulação. 

    O presidente disse ainda que a quarentena é voluntária no país, e que os cidadãos a estão cumprindo para evitar a disseminação da COVID-19. A Venezuela atravessa uma segunda onda do coronavírus e o governo decretou 14 dias de isolamento social. 

    "Não reconhecem que a Venezuela deu um passo adiante, dois passos adiante, em cada etapa da pandemia", defendeu Maduro. 

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de abril de 2021 (58)

    Mais:

    Chanceler venezuelano acusa Bogotá de proteger rebeldes colombianos na fronteira com a Venezuela
    Maduro assegura que Colômbia e EUA preparam 'provocações' e buscam conflito militar com Venezuela
    Colômbia envia mais tropas para fronteira com Venezuela devido à escalada de tensões
    Tags:
    quarentena, novo coronavírus, COVID-19, pandemia, Nicolás Maduro, Brasil, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar