10:33 29 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    131223
    Nos siga no

    O objetivo da política dos EUA em relação à China não é conter Pequim, mas preservar a ordem mundial, que o país asiático está minando, disse Antony Blinken, secretário de Estado norte-americano.

    "A nossa relação com Pequim, como com muitos aliados, é competitiva em alguns casos, de cooperação noutros e antagónica noutros. Contudo, existe um denominador comum, nomeadamente a necessidade de confrontar a China a partir de uma posição de força, que começa com alianças fortes, coordenação e cooperação" disse Blinken em entrevista ao jornal italiano La Stampa.

    "Os EUA não forçarão os aliados a escolherem entre si e Pequim", ressaltou.

    Segundo ele, o objetivo de Washington não é conter a China, mas preservar "o sistema da ordem mundial baseada em regras", que têm sido trabalhadas desde o fim da Segunda Guerra Mundial".

    O chefe da diplomacia americana salientou que a "China atua minando esta ordem, violando os direitos humanos ou outras obrigações".

    Antony Blinken, secretário de Estado dos EUA (segundo à direita), acompanhado por Jake Sullivan, conselheiro de Segurança Nacional dos EUA (primeiro à direita), fala em direção a Yang Jiechi (segundo à esquerda), diretor do Escritório da Comissão Central de Relações Exteriores do PC da China, e Wang Yi (primeiro à esquerda), conselheiro de Estado e ministro das Relações Exteriores da China, em Anchorage, Alasca, EUA, 18 de março de 2021
    © REUTERS / Frederic J. Brown
    Antony Blinken, secretário de Estado dos EUA (segundo à direita), acompanhado por Jake Sullivan, conselheiro de Segurança Nacional dos EUA (primeiro à direita), fala em direção a Yang Jiechi (segundo à esquerda), diretor do Escritório da Comissão Central de Relações Exteriores do PC da China, e Wang Yi (primeiro à esquerda), conselheiro de Estado e ministro das Relações Exteriores da China, em Anchorage, Alasca, EUA, 18 de março de 2021
    "Quando alguém desafia este sistema, a China ou outros, jogando sem respeitar as regras ou tentando minar os compromissos assumidos por outros, todos nós temos razões para resistir", declarou Blinken.

    Anteriormente o secretário de Estado americano disse que Washington precisará ser capaz de agir contra a China "a partir de uma posição de força", já que a relação bilateral se torna "cada vez mais antagónica".

    Mais:

    Acadêmico americano sugere maneira 'correta' em como Biden deveria lidar com seus adversários
    Governo dos EUA: conversas com China foram 'duras e diretas'
    China declara que 'refeição principal ainda está por vir' sobre diálogo com EUA na reunião do Alasca
    Tags:
    tensão política, ordem mundial, China, EUA, Antony Blinken
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar