23:54 17 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    COVID-19 no mundo no final de março de 2021 (98)
    6319
    Nos siga no

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, foi banido da rede social Facebook por pelo menos um mês por, alegadamente, ter utilizado a plataforma para promover um tratamento que, supostamente, ajudaria no combate contra a COVID-19.

    O produto "miraculoso" seria Carvativir, uma solução oral derivada do tomilho e que, supostamente, neutralizaria a infeção responsável pela pandemia global, segundo a agência Reuters.

    "Seguimos as orientações da Organização Mundial da Saúde [OMS], que dizem que atualmente não existe medicamento para curar o vírus", contou um porta-voz da plataforma, não identificado, à mídia americana, acrescentando que "devido a repetidas violações de nossas regras, também estamos congelando a página por 30 dias, durante os quais ela será somente de leitura".

    Maduro teria feito publicidade ao produto no final de janeiro deste ano, afirmando que as gotas do produto em causa neutralizariam "100% do coronavírus". Porém, apesar de seu dito entusiasmo, o presidente foi vacinado com a vacina russa Sputnik V.

    Por enquanto, ainda não houve nenhum comentário vindo das autoridades venezuelanas sobre o sucedido.

    A situação da COVID-19 no país latino-americano parece ser mais suave do que em outros países seus vizinhos, uma vez que dos cerca de 155 mil infectados foram registrados apenas 1.500 óbitos.
    Tema:
    COVID-19 no mundo no final de março de 2021 (98)

    Mais:

    COVID-19 entre jovens de 30 a 39 anos aumenta 565% só em 2021, aponta Fiocruz
    Brasil registra 3.650 mortes por COVID-19 em 24 horas e bate novo recorde
    Venezuela abre investigação criminal contra Guaidó por 'sequestro' de recursos
    Tags:
    COVID-19, cura, Facebook, Nicolás Maduro, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar