14:17 20 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    113160
    Nos siga no

    Governo norte-americano rebate declarações da Coreia do Norte sobre exercícios militares conjuntos entre EUA-Coreia do Sul e acredita no poder da aliança entre os dois países na península coreana.

    Nesta quinta-feira (18), o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, alertou a Coreia do Norte que as Forças Armadas norte-americanas estão prontas para "lutar esta noite", após Pyongyang condenar exercícios militares conjuntos entre os Estados Unidos e a Coreia do Sul em Seul, segundo a Fox News.

    "Nossa Força permanece pronta para 'lutar hoje à noite' e continuamos a fazer progresso em direção à eventual transição do Controle Operacional em tempo de guerra para um futuro Comando de Forças Combinadas [com a Coreia do Sul]. Embora o cumprimento de todas as condições para essa transição leve mais tempo, estou confiante de que esse processo fortalecerá nossa aliança", disse Lloyd citado pela mídia.

    Militares dos dois países retomaram exercícios de primavera em Seul após um período de interrupção em fevereiro devido a preocupações com o coronavírus.

    O secretário de Defesa e o secretário de Estado, Antony Blinken, se encontram em território asiático para reuniões diplomáticas entre os EUA, Japão e Coreia do Sul. Segundo Blinken, a desnuclearização da Coreia do Norte é prioridade número um no diálogo com seus aliados.

    Na terça-feira (16) a irmã do líder norte-coreano Kim Jong-un alertou os Estados Unidos para "se absterem de causar mau cheiro", enquanto criticava os exercícios EUA-Coreia do Sul, que seu governo interpreta como um ensaio de invasão.

    "Aproveitamos esta oportunidade para alertar o novo governo dos EUA que se esforça para liberar cheiro de pólvora em nossa terra que se ele quer dormir em paz nos próximos quatro anos, é melhor não causar fedor na primeira etapa", alertou Jong-un.

    Alguns especialistas acreditam que a Coreia do Norte possa elevar ainda mais as tensões com declarações polêmicas e testes de mísseis para aumentar sua capacidade de negociação, já que a economia norte-coreana se encontra em séria crise devido ao fechamento de suas fronteiras pela pandemia, a sanções econômicas e a uma série de desastres naturais que aconteceram no verão de 2020, segundo a mídia.

    Mais:

    Coreia do Norte adverte que não haverá diálogo enquanto houver 'política hostil' de Washington
    Oficial americano caracteriza Coreia do Norte como 'ameaça mais imediata' aos EUA
    Mídia: EUA tentam desde fevereiro estabelecer contato com Coreia do Norte, mas o país não responde
    Tags:
    Coreia do Norte, EUA, Coreia do Sul, exercícios militares
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar