13:51 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    5203
    Nos siga no

    O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, exigiu punição para os "autores e cúmplices" do que denunciou como um "golpe" contra ele, após a prisão neste sábado (13) de sua sucessora Jeanine Áñez.

    Citando um "golpe de Estado" que o levou a fugir da Bolívia em 2019 após eleições disputadas, Morales escreveu no Twitter que os "autores e cúmplices da ditadura" que o sucedeu devem ser "investigados e punidos".

    ​Por justiça e verdade para as 36 vítimas fatais, os mais de 800 feridos e mais de 1.500 detidos ilegalmente no golpe. Que os autores e cúmplices da ditadura que saqueou a economia e atacou a vida e a democracia na Bolívia sejam investigados e punidos.

    A ex-presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, foi presa neste sábado (13), segundo publicou a AFP. Áñez é acusada de terrorismo, conspiração e sedição devido aos eventos que sucederam à renúncia de Morales, ainda em novembro de 2019.

    ​O local e a hora exata da prisão não foram divulgados e a promotoria não anunciou publicamente o mandado. Os ex-ministros que apoiaram seu governo provisório de um ano também foram detidos pelas autoridades, segundo a AFP.

    Mais:

    Greve de médicos na Bolívia: presidente denuncia caráter 'político' do movimento
    Bolívia: Jeanine Áñez tem prisão decretada por terrorismo, conspiração e sedição
    Ex-presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez é presa após ser acusada de golpe de Estado
    Tags:
    prisão, justiça, governo, Evo Morales, Bolívia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar