00:36 31 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    450
    Nos siga no

    A invasão de uma pessoa não identificada à Base Conjunta de Andrews que opera a frota do Air Force One, o avião presidencial, aconteceu por erros pessoais, informou a assessoria de imprensa da Força Aérea dos EUA.

    O incidente aconteceu em 4 de fevereiro de 2021. Um indivíduo não autorizado não só entrou no território da base sob vigilância, mas também subiu a bordo de um avião Boeing C-40 Clipper utilizado para voos de oficiais da administração e altos militares. A pessoa foi detida depois de cinco horas de "passeio".

    O inspetor-geral da Força Aérea norte-americana nomeou em seu relatório três causas do incidente. O primeiro erro foi cometido pelo agente de segurança da base que negligentemente permitiu um civil entrar no território militar.

    Depois, aproveitando-se da falha dos portões automáticos no posto, o intruso chegou com facilidade ao estacionamento das aeronaves. Por sua vez, o pessoal presente não prestou nenhuma atenção no indivíduo desconhecido.

    De acordo com relatório, houve relatos de que o intruso estava usando "um boné rosa choque com dois pompons proeminentes parecidos com orelhas de rato".

    Atualmente, duas aeronaves Boeing 747-200B fortemente modificadas, batizadas de Boeing VC-25A, servem como Air Force One. Esses aviões foram modificados para atender aos altos padrões de segurança, ao mesmo tempo em que foram equipados com dispositivos de comunicação avançados para permitir que o presidente dos EUA sempre esteja em contato com outros oficiais e militares norte-americanos.

    Mais:

    Pentágono desperdiçou US$ 549 milhões em aviões italianos depois vendidos como sucata, diz relatório
    Japão reduz interceptações de aviões chineses devido aos 'inadequados' caças F-35, diz mídia
    Mídia norte-americana nomeia os aviões mais fascinantes dos últimos 40 anos, 3 são russos
    Tags:
    Força Aérea dos EUA, presidente, Air Force One, Boeing
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar