18:43 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 37
    Nos siga no

    Os fornecedores da empresa chinesa Huawei terão novos limites de licenças nos EUA, e declararão o estoque das partes a Washington, revelaram documentos vistos pela agência Reuters.

    A administração do presidente Joe Biden nos EUA aumentou as restrições de exportação à empresa chinesa Huawei, relatou na quinta-feira (11) a agência Reuters.

    As licenças alteradas podem perturbar contratos previamente assinados com a Huawei, indicaram fontes anônimas citadas pela mídia.

    Uma das licenças que entrou em vigor na terça-feira (9) diz respeito a itens que não podem ser usados "com ou em quaisquer dispositivos 5G". Outra licença de segunda-feira (8) não foi autorizada para uso nas Forças Armadas, 5G, infraestrutura crítica, centros de dados empresariais, bem como aplicativos em nuvem ou espaciais, e impôs requisitos técnicos, incluindo que certos itens devem ter uma densidade de seis gigabytes.

    Ambas as licenças obrigam a Huawei e seus fornecedores a "implementar um plano de controle de peças e disponibilizar os registros de estoque para o governo dos EUA mediante solicitação."

    Abordadas pela Reuters, porta-vozes do Departamento de Comércio dos EUA e da Huawei se recusaram a responder, com a primeira dizendo que as informações estão sujeitas à confidencialidade.

    As primeiras licenças de exportação foram concedidas pelo Departamento de Comércio em 2019, que na época colocou a Huawei em uma lista negra. Segundo um documento de janeiro visto pela Reuters, cerca de 300 pedidos com valores declarados de US$ 296 bilhões (R$ 1,64 trilhão) ainda estavam pendentes, não se sabendo seu estado posterior.

    Mais:

    Corte britânica rejeita liberar documentos de banco ligado à executiva da Huawei detida no Canadá
    Em meio a tensões com EUA, China revela plano para contrariar restrições comerciais 'injustificadas'
    Governo Trump adicionará dezenas de empresas chinesas em lista negra, incluindo SMIC, diz mídia
    Tags:
    Joe Biden, Forças Armadas dos EUA, Forças Armadas, 5G, Departamento de Comércio dos EUA, Reuters, Huawei, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar