12:35 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    O presidente americano Joe Biden tem vindo a tomar medidas para desconstruir o legado de Trump na área da segurança de fronteiras, suspendendo temporariamente as deportações e permitindo que as crianças imigrantes entrem nos EUA.

    Face a tais mudanças em menos de dois meses de mandato presidencial, o ex-presidente republicano fez uma declaração por escrito, na qual comentou a situação migratória na fronteira entre os EUA e o México.

    "Quando eu era presidente, nossa fronteira sul estava em grande forma – mais forte e segura do que nunca. Acabamos com o "pegar e soltar", com os asilos fraudulentos e detivemos os contrabandistas, traficantes de droga e de seres humanos", lê-se em sua declaração.

    Nos Estados Unidos, "pegar e soltar" refere-se a uma prática de liberar um imigrante enquanto ele aguarda julgamento na corte de imigração, como alternativa a mantê-lo em detenção imigratória.

    Donald Trump criticou fortemente a decisão de Biden de parar de construir o muro entre os EUA e o México, afirmando que os EUA "estão sendo destruídos na fronteira sul". Recentemente, durante a conferência conservadora anual no estado da Flórida, o republicano chegou a classificar as ações da nova administração como uma traição aos principais valores americanos.

    Um migrante em Tijuana, México pula a fronteira para entrar na cidade americana de San Diego, na Califórnia.
    © AP Photo / Daniel Ochoa de Olza
    Um migrante em Tijuana, México pula a fronteira para entrar na cidade americana de San Diego, na Califórnia.
    Logo no primeiro dia de seu mandato como presidente, Biden anunciou uma diretiva na qual se comprometeu a conceder a cidadania estadunidense aos cerca de 11 milhões de imigrantes ilegais vivendo nos EUA. De igual modo, aumentou para 125 mil o número anual de concessão de asilo a refugiados, que teria sido reduzida para apenas 15 mil durante a presidência de Trump.

    Biden também se teria comprometido a autorizar imigrantes menores a entrar no país, uma vez que aproximadamente 3.200 crianças e jovens se encontram em vários centros de detenção na fronteira sudoeste dos EUA. Na verdade, em 3 de fevereiro, o presidente democrata estabeleceu uma equipe entre agências com o objetivo de reunir as famílias que tivessem sido separadas ao longo da fronteira sul, estabelecendo um período de 120 dias para receber seu primeiro relatório sobre a situação.

    Mais:

    Começa escolha do júri para o julgamento de assassinato de George Floyd nos EUA
    EUA estão desenvolvendo míssil capaz de derrubar satélites de navegação, diz especialista russo
    UE executaria sozinha imposto sobre serviços digitais se EUA e parceiros não cooperarem
    Tags:
    refugiados, imigração ilegal, migração, América Latina, México, EUA, Donald Trump, Joe Biden
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar