11:11 11 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    526
    Nos siga no

    Embora Washington diga que não recorrerá a intervenções caras para derrubar governos indesejados, os EUA pretendem aumentar a pressão contra Maduro.

    A estratégia da administração do presidente norte-americano Joe Biden foi passada por uma fonte do governo dos EUA a jornalistas nesta segunda (8). Em sua fala, a fonte disse:

    "Os EUA continuarão a aumentar a pressão. Expandirão a pressão multilateralmente para assegurar que os responsáveis por violação dos direitos humanos, que estão roubando o povo venezuelano, que estão engajados em atividades criminosas desenfreadas, não terão tréguas em nenhum lugar enquanto não se sentarem à mesa com sinceridade para tomar decisões que levem a eleições justas e livres no país."

    Passando maiores detalhes, a fonte também disse que os EUA pretendem coordenar sua política em relação à Venezuela com seus parceiros.

    "Estamos focados em assegurar que estamos trabalhando de forma coordenada e muito próxima com a União Europeia, com nossos amigos e aliados na América Latina e Caribe, para reafirmar que estamos dirigindo uma visão consensual sobre como podemos ser o mais eficazes ao exercer pressão sobre o regime", acrescentou.

    É válido ressaltar que, no último dia 24, Caracas decidiu expulsar a embaixadora da UE, a diplomata portuguesa Isabel Brilhante, de seu território, logo após o bloco europeu ter anunciado sanções contra membros do governo venezuelano alegando fraudes nas últimas eleições legislativas no país sul-americano.

    Revisão das sanções

    Ainda comentando a pressão sobre a Venezuela, a fonte também disse que os EUA revisarão a política de sanções.

    "Vamos revisar as sanções para termos a certeza que elas são eficazes", disse. No entanto, Washington não estaria "com pressa para retirar as sanções".

    Na semana passada, em discurso televisionado, o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, afirmou que o governo Biden não adotaria o método de intervenções caras para a derrubada de governos autoritários. Além disso, Blinken reconheceu que tal política é ineficaz.

    EUA concederão proteção a imigrantes venezuelanos

    Pela primeira vez, o governo Biden também concederá o Status de Proteção Temporária (TPS, na sigla em inglês) para cerca de 320 mil imigrantes venezuelanos.

    Contudo, a medida deverá ser válida somente para os imigrantes que já estão em solo norte-americano e terá a duração de aproximadamente 18 meses para os candidatos que forem elegíveis.

    Mais:

    Venezuela conduz exercícios militares por todo o país em homenagem a Hugo Chávez (VÍDEOS)
    Presidente da Argentina comemora anulação das condenações de Lula
    EUA revogam licença de Trump e restabelecem sanções contra empresário israelense
    Tags:
    sanções, EUA, Venezuela, refugiados venezuelanos, Nicolás Maduro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar