04:12 11 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    858
    Nos siga no

    A maioria dos norte-americanos não vê a China como parceira e expressa preocupações crescentes sobre o histórico de direitos humanos e as práticas econômicas de Pequim, revelou uma nova pesquisa do Pew Research Center nesta quinta-feira (4).

    De acordo com dados da pesquisa, 89% dos norte-americanos adultos veem a China como concorrente ou inimiga, e não como parceira. Além disso, o levantamento mostra que essa parcela dos cidadãos dos Estados Unidos apoia uma postura mais dura em relação à situação dos direitos humanos no país asiático, assim como em relação à economia chinesa. A maioria dos entrevistados também disse que apoiaria a limitação do número de estudantes chineses autorizados a estudar nos EUA.

    Apesar disso, o Pew Research Center afirma que detectou uma divisão partidária significativa entre os norte-americanos em questões relativas à China. Os republicanos são mais propensos a descrever a China como inimiga e apontar uma série de questões nas relações bilaterais como problemas sérios, enquanto os democratas dizem que concordam em grande parte com os republicanos apenas em questões relacionadas aos direitos humanos.

    Bandeiras da China e dos EUA (imagem referencial)
    © AP Photo / Andy Wong
    Bandeiras da China e dos EUA (imagem referencial)

    Ainda segundo a pesquisa, 36% dos democratas apoiam medidas para a limitação do poder e da influência da China, em comparação com 63% dos republicanos.

    As opiniões também estão significativamente divididas em relação à confiança na capacidade do presidente dos EUA, Joe Biden, de lidar com a China. De um lado, 83% dos democratas dizem que estão confiantes na capacidade de Biden, enquanto apenas 19% dos republicanos acreditam no atual ocupante da Casa Branca para lidar com a questão, conforme aponta a pesquisa.

    Mais:

    EUA poderiam negar para China acesso à tecnologia essencial para fabricação de chips
    EUA: navio de guerra da Alemanha está no mar do Sul da China para assegurar 'liberdade de navegação'
    'Sem precedentes': aviões espiões dos EUA conduzem 75 missões em fevereiro no mar do Sul da China
    Tags:
    Pew Research Center, Estados Unidos, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar