15:21 11 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Pandemia de COVID-19 no mundo no início de março de 2021 (94)
    0 20
    Nos siga no

    Um aumento de 2,2% no número de mortes pelo novo coronavírus nos Estados Unidos em sete dias sugere que o país está entrando em uma fase crítica do combate à pandemia. Entre as autoridades, cresce a preocupação com a disseminação de variantes do SARS-CoV-2.

    A constatação foi divulgada nesta quarta-feira (3) pela diretora do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, Rochelle Walenski, durante uma coletiva de imprensa do grupo responsável por coordenar a resposta contra a pandemia no país.

    "Continuamos a ver sinais preocupantes na trajetória da pandemia nos Estados Unidos, com as quedas mais recentes de casos e mortes continuando a dar sinais de estagnação. Sabíamos que isso poderia acontecer à medida que as variantes surgissem e atingissem mais pessoas e mais comunidades", disse Walensky.

    A diretora do CDC disse ainda que a mais recente média de novos casos semanais - 66 mil - representa um aumento de 3,5% em relação à semana anterior. No caso da média semanal de mortes, o resultado foi de dois mil óbitos, um aumento de 2,2%.

    Walensky classificou a variante B117, descoberta primeiro no Reino Unido, como sendo hiper transmissível, a ponto de ameaçar os esforços para acabar com a pandemia.

    Vacinas são menos eficazes contra variante brasileira

    O diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, Anthony Fauci, observou que a variante do Reino Unido responde "relativamente bem" a três vacinas aprovadas contra a COVID-19 pelo governo norte-americano.

    Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA
    © AP Photo / Evan Vucci
    Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA

    Fauci acrescentou, porém, que essas vacinas são menos eficazes contra as variantes que surgiram no Brasil e na África do Sul, enquanto as evidências sugerem o mesmo para novas variantes que surgiram nos estados norte-americanos da Califórnia e de Nova York.

    O governo do presidente norte-americano Joe Biden estabeleceu uma meta de ter vacinas suficientes para toda a população dos EUA até o final de maio deste ano. O país é atualmente o mais impactado pela pandemia. Segundo os dados da Universidade Johns Hopkins, os EUA acumulam quase 29 milhões de casos confirmados de COVID-19 e mais de 518 mil mortes causadas pela doença.

    Tema:
    Pandemia de COVID-19 no mundo no início de março de 2021 (94)

    Mais:

    Biden promete esforço para 'erradicar' o câncer nos EUA, após derrotar a COVID-19
    EUA e aliados do Quad estariam planejando conter China no fornecimento de vacinas contra COVID-19
    Trump foi vacinado contra a COVID-19 antes de deixar a Casa Branca, diz mídia dos EUA
    Tags:
    Joe Biden, CDC, EUA, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar