15:07 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    171
    Nos siga no

    Sob o Ato de Autorização de Defesa Nacional de 2019, a Comissão de Segurança Nacional em Inteligência Artificial foi estabelecida para rever os avanços ocorridos em inteligência artificial (IA) e outras tecnologias, assegurando que os EUA estão trabalhando devidamente na área.

    Um relatório, lançado pela Comissão de Segurança Nacional em Inteligência Artificial (NSCAI, na sigla em inglês) na segunda-feira (1º), determinou que os EUA "estão despreparados" para enfrentar as novas ameaças que emergem da indústria tecnológica, e por isso deverão implementar mudanças "significantes" para vencer os desafios e obstáculos contemporâneos.

    "Os EUA devem agir agora para fortalecer os sistemas de inteligência artificial, e investir substancialmente mais em inovação de IA para proteger sua segurança, promover sua prosperidade, e assegurar o futuro da democracia", escreveu a comissão.

    A comissão acrescentou que, "atualmente, o governo não está se organizando ou investindo para vencer competição tecnológica contra um competidor comprometido, nem está preparado para se defender de ameaças provenientes de IA e adotar rapidamente aplicações de IA para objetivos de segurança nacional".

    Contudo, o relatório afirmou que os Estados Unidos não se deixariam ficar para trás diante do aumento de uso de IA por outros países para disseminação on-line de desinformação e condução de ciberataques.

    Para alcançar a supremacia no campo de IA, Estados Unidos incentivarão a imigração de indivíduos que tencionem estudar ou trabalhar dentro desse campo, e investirão mais em pesquisas federais e desenvolvimento da inteligência artificial, não obrigatoriamente tendo ligação com defesa.

    Segundo o relatório da NSCAI, a competição de inovação tecnológica está sendo, até agora, dominada pela China que, por sua vez, segue investindo bastante no setor de IA. No mesmo relatório, a comissão anota que a China "possui a força, o talento e a ambição de ultrapassar os EUA na liderança mundial de IA na próxima década, caso a atitude presente não mude".

    Mais:

    Ante tensões com EUA, Pequim realizará exercícios militares de 1 mês no mar do Sul da China
    EUA pretendem criar dólar digital para conter China
    Caça secreto de 6ª geração dos EUA poderá integrar copiloto à base de inteligência artificial
    Tags:
    tecnologia, inovação, desafios, competição, inteligência artificial, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar