18:30 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Coronavírus no mundo no final de fevereiro de 2021 (71)
    1100
    Nos siga no

    O Uruguai tem interesse em fechar acordos de cooperação em questões de saúde com a Rússia, especialmente no intercâmbio educacional de profissionais.

    A informação foi dada pelo ministro da Saúde do país sul-americano, Daniel Salinas, à Sputnik nesta sexta-feira (26).

    Homem passa por muro com personagem Mafalda desenhada em Montevidéu, no Uruguai
    © AP Photo / Natasha Pisarenko
    Homem passa por muro com personagem Mafalda desenhada em Montevidéu, no Uruguai

    "Sim, estamos interessados", disse Salinas, quando questionado se poderia fazer acordos de cooperação em questões de saúde com a Rússia. O ministro afirmou que um de seus interesses é a neurofisiologia clínica, que foi "altamente desenvolvida pela Rússia".

    "Eles tiveram um desenvolvimento muito bom, então estávamos conversando amigavelmente que a Rússia estaria disposta a criar um intercâmbio de profissionais. Estamos muito satisfeitos. Seria extremamente interessante para a Universidade da República se os intercâmbios pudessem ser feitos de um lado para outro", disse o ministro.

    Por outro lado, Salinas garantiu que o Uruguai "tem boa disponibilidade" para comprar a vacina russa contra COVID-19, a Sputnik V.

    Em Pogdorica, capital de Montenegro, um profissional de saúde segura uma dose da vacina russa contra a COVID-19, Sputnik V, em 23 de fevereiro de 2021
    © AP Photo / Risto Bozovic
    Em Pogdorica, capital de Montenegro, um profissional de saúde segura uma dose da vacina russa contra a COVID-19, Sputnik V, em 23 de fevereiro de 2021

    Desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya em cooperação com o Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo), e aprovada na Rússia em 11 de agosto de 2020, a Sputnik V consiste em duas doses aplicadas com um intervalo de 21 dias. A primeira é baseada no adenovírus humano tipo 26 e a ​​segunda no adenovírus humano recombinante tipo 5.

    Atualmente, a vacina do Centro Gamaleya foi aprovada em quase 40 países de Europa, Ásia, África e América, incluindo Argentina, Bolívia, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Paraguai, Venezuela, entre outros.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no final de fevereiro de 2021 (71)

    Mais:

    Para o Pentágono, EUA notificaram a Rússia sobre ataque aéreo de maneira adequada
    Presidentes do Paraguai e Uruguai defendem flexibilização do Mercosul
    Primeiras vacinas contra COVID-19 chegam ao Uruguai
    Tags:
    COVID-19, novo coronavírus, pandemia, saúde, relações bilaterais, Rússia, Uruguai
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar