15:38 21 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    320
    Nos siga no

    Os EUA introduziram uma nova política de restrição de vistos chamada "Proibição Khashoggi", disse o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, nesta sexta-feira (26).

    "Hoje estou anunciando a 'Proibição Khashoggi' [...] Ela permite que o Departamento de Estado imponha restrições de visto a indivíduos que, agindo em nome de um governo estrangeiro, tenham se envolvido diretamente em graves atividades extraterritoriais contra-dissidentes, incluindo aquelas que suprimem, assediam, vigiam, ameaçam ou prejudicam jornalistas, ativistas ou outras pessoas percebidas como dissidentes por seu trabalho, ou que se envolvem em tais atividades em relação às famílias ou outros associados próximos de tais pessoas", disse Blinken em comunicado de imprensa.
    Um pôster do jornalista saudita Jamal Khashoggi, em uma barreira que bloqueia a estrada que leva ao consulado da Arábia Saudita em Istambul.
    © AP Photo / Emrah Gurel
    Um pôster do jornalista saudita Jamal Khashoggi, em uma barreira que bloqueia a estrada que leva ao consulado da Arábia Saudita em Istambul.

    Um pouco antes, o secretário de Estado norte-americano tinha declarado que os EUA imporão restrições de visto a 76 indivíduos sauditas que se envolveram em ameaças a dissidentes no exterior, incluindo o jornalista assassinado Jamal Khashoggi.

    "O Departamento de Estado dos EUA agiu de acordo com a 'Proibição Khashoggi' para impor restrições de visto a 76 indivíduos sauditas que se acreditava estarem envolvidos em ameaças a dissidentes no exterior, incluindo, mas não se limitando ao assassinato de Khashoggi", disse Blinken.

    Blinken também disse que as ameaças e ataques da Arábia Saudita contra ativistas, dissidentes e jornalistas devem acabar.

    Mais:

    'Agressão covarde': Síria condena bombardeio aéreo dos EUA em seu território
    Ataque aéreo dos EUA na Síria deixa 'pelo menos 22 mortos'; Iraque nega envolvimento na ação
    EUA nunca reconhecerão Crimeia como território russo, diz Biden
    Tags:
    justiça, relações internacionais, governo, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar