11:39 20 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    3312
    Nos siga no

    Nesta quarta-feira (24), o presidente dos EUA, Joe Biden, prorrogou as sanções contra a República de Cuba, de acordo com carta publicada no site da Casa Branca.

    Trata-se do embargo norte-americano a Cuba de 1996, que já teve vários acréscimos de sanções – em 2004, 2016 e 2018.

    Em particular, o presidente dos Estados Unidos confirmou que navios registrados nos EUA estão proibidos de entrar em águas territoriais de Cuba sem aprovação norte-americana, devido à possibilidade de "migração em massa de cidadãos cubanos" e, consequentemente, "ameaça à nossa segurança nacional".

    A administração Obama, na qual Joe Biden exerceu o cargo de vice-presidente, cancelou algumas sanções contra Cuba e tomou medidas para melhorar as relações. No entanto, Donald Trump restaurou muitas sanções norte-americanas contra Cuba. Mesmo assim, o embargo comercial permanecia sem mudanças por mais de meio século.

    Em 14 de janeiro, o Departamento de Comércio dos EUA emitiu um decreto que prevê o fortalecimento do controle dos negócios no âmbito de tecnologias informáticas, enquanto Rússia, China, Irã, Cuba e Coreia do Norte são reconhecidos como "adversários estrangeiros".

    Mais:

    A 5 dias de deixar o cargo, Pompeo ataca China, Irã e Cuba com sanções
    Lavrov condena a decisão dos EUA de incluir Cuba na lista de países patrocinadores do terrorismo
    Cuba apela aos EUA e pede remoção de seu nome da lista de patrocinadores do terrorismo
    Tags:
    Joe Biden, sanções, Cuba, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar