04:32 12 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Coronavírus no mundo no final de fevereiro de 2021 (71)
    2100
    Nos siga no

    O primeiro lote da vacina russa Sputnik V contra a COVID-19 chegou à Nicarágua, anunciou a vice-presidente do país, Rosario Murillo Zambrana, nesta quarta-feira (24).

    No início deste mês, o Ministério da Saúde da Nicarágua autorizou o uso da vacina russa contra COVID-19, tornando-se um dos 35 países que já aprovaram o uso do imunizante, assim como o México e Honduras.

    "Ontem à noite, recebemos com gratidão o primeiro lote da vacina Sputnik V, que foi entregue gratuitamente", disse Rosario Murillo Zambrana na noite desta quarta-feira (24), conforme transmitido pela emissora nicaraguense Canal 4. Zambrana não especificou o número de doses recebidas.

    A vice-presidente da Nicarágua afirmou ainda que espera receber doses de vacinas da Índia, Rússia e também da iniciativa COVAX, o consórcio da Organização Mundial da Saúde (OMS) para ampliar a distribuição de imunizantes mundo afora.

    Segundo a governante nicaraguense, o país tornará público em breve o plano de vacinação para imunizar 55% da população, cerca de 3,7 milhões de cidadãos. Por ora, as doses doadas pela Rússia devem ser aplicadas primeiro em pessoas mais vulneráveis.

    "Com essa doação vamos atender de imediato os casos urgentes de vulnerabilidade por doenças crônicas, pacientes com insuficiência renal, cardiopatia e câncer, ou seja, temos que atender as pessoas mais vulneráveis, ou seja, pessoas com doenças que estão mais expostas", explicou Murillo.

    A emissora Canal 4 também publicou imagens do lote nas redes sociais.

    ​Nicarágua recebe doação inicial da vacina Sputnik V, enviada pela Federação da Rússia.

    A Sputnik V, desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya (Centro Gamaleya), foi registrada pelo Ministério da Saúde da Rússia em 11 de agosto de 2020, tornando o imunizante contra a COVID-19 o primeiro do mundo a ser registrado.

    Em Manágua, capital da Nicarágua, uma noiva com máscara de proteção contra a COVID-19 segura um guarda-chuva durante um casamento coletivo, em 14 de fevereiro de 2021
    © AP Photo / Diana Ullo
    Em Manágua, capital da Nicarágua, uma noiva com máscara de proteção contra a COVID-19 segura um guarda-chuva durante um casamento coletivo, em 14 de fevereiro de 2021

    A OMS declarou o surto de COVID-19 como uma pandemia em 11 de março do ano passado. O vírus se espalhou rapidamente pelos principais centros urbanos do mundo, obrigando os governos a adotarem medidas de contenção para impedir o crescente número de mortes enquanto as vacinas eram desenvolvidas.

    Conforme dados da Universidade Johns Hopkins, até o momento, mais de 112,4 milhões de pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus em todo o mundo, com mais de 2,49 milhões de mortes. A Nicarágua confirmou mais de seis mil casos de COVID-19 até agora, além de 173 mortes causadas pela doença.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no final de fevereiro de 2021 (71)

    Mais:

    Ministra da Saúde de Montenegro é vacinada contra a COVID-19 com a Sputnik V
    Mídia suíça chama vacina russa Sputnik V de sucesso de exportação
    Analista japonês avalia eficácia da vacina Sputnik V
    Tags:
    COVAX Facility, OMS, Nicarágua, Sputnik V, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar