23:23 10 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Coronavírus no mundo no final de fevereiro de 2021 (71)
    0 50
    Nos siga no

    Único em fases avançadas de testes com apenas uma dose, o imunizante tem eficácia geral mais baixa que os da Moderna e da Pfizer/BioNTech, mas é o que apresenta os melhores resultados contra a cepa surgida na África do Sul.

    A vacina produzida pela Johnson & Johnson, administrada em dose única, é eficaz contra a variante sul-africana do SARS-CoV-2, de acordo com a Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos Estados Unidos. Em documento publicado nesta quarta-feira (24), o órgão também ressalta que o imunizante oferece alta proteção contra mortes e casos graves por COVID-19, além de reduzir a transmissão do vírus nos vacinados.

    Segundo a FDA, nos Estados Unidos, a vacina teve eficácia geral de 72% e de 64% contra a variante sul-africana. A porcentagem para a cepa da África do Sul foi sete pontos superior aos dados anteriores, divulgados pela própria Johnson & Johnson.

    Profissional de saúde atende um paciente em uma enfermaria temporária montada durante o surto da COVID-19, África do Sul, 19 de janeiro de 2021.
    © REUTERS / Pool
    Profissional de saúde atende um paciente em uma enfermaria temporária montada durante o surto da COVID-19, África do Sul, 19 de janeiro de 2021

    Contra os casos graves da doença, o imunizante mostrou 86% de eficácia nos Estados Unidos. Na África do Sul, a taxa foi de 82% contra a variante.

    Embora a taxa geral seja mais baixa do que as da Moderna e da Pfizer/BioNTech, que possuem em torno de 95% de eficácia e são administradas em duas doses, na África do Sul a vacina da Johnson & Johnson é a que apresentou os melhores resultados.

    O imunizante, desenvolvido pela Janssen, braço farmacêutico da empresa norte-americana, utiliza a tecnologia de vetor viral e é o único em etapa avançada de testes com apenas uma dose. Mais de 44 mil pessoas nos EUA, América Latina e África do Sul participaram dos testes.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no final de fevereiro de 2021 (71)

    Mais:

    AstraZeneca entregará menos de 50% das doses prometidas à UE no 2º trimestre
    COVID-19: fabricantes das vacinas chinesas Sinopharm e CanSino divulgam dados de eficácia
    Vacinação será retomada no Rio, mas só há doses para mais 3 dias
    Tags:
    África do Sul, imunizante, vacinação, vacina, pandemia, novo coronavírus, COVID-19, Johnson & Johnson
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar