01:02 27 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    As mortes em tumultos em três prisões no Equador chegaram a 62, disse Edmundo Moncayo, diretor do Serviço Nacional de Atenção às Pessoas Privadas de Liberdade do país.

    Depois de receber os dados mais recentes sobre as mortes em Turi, Moncayo retificou o número inicial de 67 mortos para um total de 62 nas três prisões do país.

    "Gostaria de repetir os valores das mortes [...] 21 em Guayaquil, oito em Cotopaxi e em Turi não são 38, mas 33, [...] um total de 62", disse Moncayo em entrevista coletiva nesta terça-feira (23).

    Ele acrescentou que também há vários policiais feridos.

    #ElPulso #Internacional | Vários distúrbios simultâneos em três prisões no Equador foram relatados na tarde de terça-feira (23), que deixaram pelo menos 62 mortos.

    ​Durante a manhã, foram denunciados atos violentos na prisão regional e na Penitenciária do Litoral, na cidade de Guayaquil (Guayas); na prisão de Turi, em Cuenca (Azuay); e no centro de reabilitação de Latacunga (Cotopaxi), onde os internos, que sequestraram vários agentes penitenciários, provocaram confrontos com outros internos.

    Em fotos e vídeos que circularam nas redes sociais, é possível observar os presos em cima dos telhados das penitenciárias de Latacunga e Turi.

    Segundo Moncayo, os distúrbios se devem a problemas entre dois grupos que tentam obter a liderança nas prisões equatorianas.

    Mais:

    Equador: comissão eleitoral confirma Lasso como 2º colocado em pleito presidencial
    Comissão oficializa 2º turno no Equador entre Arauz e Lasso
    Após resultado eleitoral, movimento indígena no Equador vai acionar a Justiça para disputar 2º turno
    Tags:
    violência, distúrbios, prisão, Equador
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar