05:05 20 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    174
    Nos siga no

    As famílias das vítimas do ataque de 2019 à Base Aeronaval de Pensacola, na Flórida, EUA, processaram a Arábia Saudita, alegando que o país deveria saber do grau de perigo do atirador, um membro da Força Aérea saudita.

    De acordo com o The Wall Street Journal, a queixa foi apresentada em uma corte federal de Pensacola pelas famílias dos três militares mortos e de 13 outros que foram feridos durante o ataque.

    "Al-Shamrani foi um 'Cavalo de Troia' enviado pelo país, o rei da Arábia Saudita", é afirmado processo, citado pelo jornal.

    Os demandantes pedem ao tribunal que condene a Arábia Saudita como responsável pelo ataque e acusam o governo do país de falhar na indenização das famílias das vítimas.

    Em 2020, o FBI desbloqueou os dois celulares do atirador e encontrou provas definitivas dos laços de Mohammed Al-Shamrani com a Al-Qaeda, organização terrorista da península arábica proibida na Rússia e em outros países.

    Em dezembro de 2019, um piloto saudita em treinamento, Mohammed Al-Shamrani, de 21 anos de idade, abriu fogo na Base Aeronaval de Pensacola, matando três militares norte-americanos e ferindo diversos outros antes de ser morto pelas autoridades.

    Mais:

    Força Aérea dos EUA investiga invasão em base que hospeda frota presidencial, diz mídia
    Força Aérea dos EUA revela FOTOS de caça F-15E usando novo míssil furtivo ar-terra
    Força Aérea dos EUA 'aposenta' 17 bombardeiros B-1 para iniciar modernização de sua frota
    Tags:
    atirador, Arábia Saudita, morte, morte, ataque, base aérea, base, eua
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar