18:23 01 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    370
    Nos siga no

    No domingo (21), a Boeing recomendou que as companhias aéreas retirem temporariamente de serviço o modelo de aeronave 777, devido a uma falha registrada no dia anterior.

    A empresa anunciou a recomendação através de um comunicado citando um incidente com uma aeronave do modelo que sofreu uma falha de motor no sábado (20) durante um voo no estado norte-americano do Colorado. 

    Um avião Boeing 777 com mais de 230 passageiros a bordo, que voava de Denver para Honolulu, sofreu falha de motor e teve que voltar ao aeroporto de partida, no sábado (20). A aeronave pousou com segurança, mas os destroços do motor do jato caíram sobre o subúrbio das cidades de Denver e Broomfield. Nenhuma pessoa ficou ferida.

    "A Boeing está monitorando ativamente eventos recentes relacionados ao voo 328 da United Airlines. Enquanto a investigação do NTSB [Conselho Nacional de Segurança de Transporte dos Estados Unidos] está em andamento, recomendamos suspender as operações dos 69 777s em serviço e dos 59 parados com motores Pratt & Whitney 4000-112 até que a FAA [Administração Federal de Aviação dos EUA] identifique o protocolo de inspeção apropriado", disse a empresa no comunicado.

    Mais cedo, a FAA, disse que intensificará as inspeções dos aviões Boeing 777.

    Funcionário da Boeing observa modelo 737 MAX estacionado em fábrida da empresa em Seattle
    © AP Photo / Ted S. Warren
    Funcionário da Boeing observa modelo 737 MAX estacionado em fábrida da empresa em Seattle

    Além disso, a companhia aérea United Airlines comunicou a suspensão temporária de voos com aeronaves Boeing 777. O Japão também instruiu suas companhias aéreas a retirarem temporariamente de serviço os aviões do modelo equipados com motores Pratt & Whitney 4000-112.

    "A Boeing apoia a decisão de ontem do Escritório de Aviação Civil do Japão, e a ação da FAA, de hoje, de suspender as operações de aeronaves 777 equipadas com motores Pratt & Whitney 4000-112. Estamos trabalhando com esses órgãos reguladores enquanto esses aviões estão parados e inspeções são conduzidas pela Pratt & Whitney", disse a Boeing.

    Mais:

    Após registrar prejuízo recorde, Boeing atrasa pela 3ª vez lançamento do modelo 777X
    Anac autoriza retorno de operações do Boeing 737 MAX no Brasil
    Boeing pagará US$ 2,5 bilhões para encerrar acusação sobre 737 MAX
    Pilotos de teste do Boeing 737 MAX eram 'incorretamente instruídos' pela empresa, diz Senado dos EUA
    Tags:
    Boeing 777, Boeing 737 MAX, Estados Unidos, Japão, FAA, United Airlines
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar