19:54 16 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    53110
    Nos siga no

    A Casa Branca planeja revisar as lacunas na fabricação nacional e nas cadeias de abastecimento que são dominadas ou perpassadas por "nações que são ou podem se tornar hostis ou instáveis".

    O presidente norte-americano Joe Biden vai solicitar uma revisão das principais cadeias de suprimentos dos EUA, incluindo aquelas de semicondutores, baterias de alta capacidade, suprimentos médicos e metais de terras raras, informou a emissora CNBC na quinta-feira (19).

    A avaliação, que deve ser conduzida por membros das equipes econômica e de segurança nacional da administração Biden, analisará a "resiliência e capacidade das cadeias de abastecimento de manufatura e da base industrial de defesa dos EUA para apoiar a segurança nacional [e a] preparação para emergências", lê-se no projeto de uma ordem executiva que a mídia teve acesso.

    Ainda de acordo com o documento, a Casa Branca planeja examinar as lacunas na fabricação nacional e nas cadeias de abastecimento que são dominadas ou atravessadas por "nações que são ou podem se tornar hostis ou instáveis".

    Máquina de mineração trabalha na mina Bayan Obo, que contém minerais de terras raras, na Mongólia Interior, China, (foto de arquivo)
    © REUTERS / China Stringer Network
    Máquina de mineração trabalha na mina Bayan Obo, que contém minerais de terras raras, na Mongólia Interior, China (foto de arquivo)

    Embora não mencione a China, o projeto é, provavelmente, em grande parte um esforço da administração Biden para determinar o quanto a economia e os militares dos EUA dependem das exportações chinesas. Biden disse no início deste mês que seu governo está se preparando para uma "competição extrema" com a China.

    O projeto de ordem executiva é um dos primeiros esforços tangíveis da administração Biden para avaliar e apoiar os negócios norte-americanos por meio de uma revisão completa da origem das principais matérias-primas.

    Analistas de defesa e políticos democratas e republicanos têm nos últimos anos destacado a dependência dos EUA da China para metais de terras raras, um grupo de minerais usados ​​na produção de tecnologias avançadas, incluindo telas de computador, armas de última geração e caças F-35, como uma potencial armadilha estratégica.

    Dependência da China

    A China está explorando a limitação da exportação de minerais de terras raras, que são cruciais para a fabricação de caças F-35 e outros armamentos sofisticados norte-americanos, de acordo com pessoas envolvidas em uma consulta governamental ouvidas pelo jornal Financial Times esta semana.

    De acordo com o jornal, o Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China elaborou projetos de controle sobre a produção e exportação de 17 minerais de terras raras em janeiro. O país controla cerca de 80% do fornecimento global de minerais, vitais para a produção de armamentos avançados.

    Ano passado, durante uma reunião do Comitê de Energia e Recursos Naturais do Senado dos EUA, a senadora republicana Lisa Murkowski, do Alasca, perguntou a Simon Moores, diretor-gerente da Benchmark Mineral, o que poderia acontecer se a China decidisse cortar os EUA de minerais. Moores disse que tal movimento deixaria os EUA com poucas opções e seria devastador para a economia norte-americana.

    Mais:

    China visa limitar exportações de terras raras para prejudicar o setor de defesa dos EUA, diz mídia
    EUA aumentam presença no mar do Sul da China na intenção de contestar 'restrições ilegais'
    Tanque chinês surge em FOTO como sendo 'alvo principal' do novo sistema antitanque dos EUA
    EUA e China estão no caminho para a dissociação econômica 'inevitável', diz relatório
    Tags:
    terra-rara, caças, fabricação, terra rara, Joe Biden, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar