01:48 09 Março 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    121
    Nos siga no

    Em uma das primeiras aparições públicas desde que saiu da Casa Branca, Donald Trump deu entrevista ao site Newsmax na noite de quinta-feira (18), se mostrando muito cauteloso em todas as questões quanto ao seu futuro político.

    Falando em público de novo, após o Senado não conseguir condená-lo durante segundo processo de impeachment, Trump, no entanto, afirmou estar entusiasmado pelos fortes números de pesquisas de opinião pública recentes, ressaltando, porém, ser cedo demais para anunciar planos de candidatura em 2024.

    "Como 2024 está longe, é cedo demais para dizer, mas vejo muitas ótimas pesquisas de opinião pública lá, isso é certo", expressou o ex-presidente.

    A entrevista tinha a intenção de elogiar o radialista da rádio conservadora, Rush Limbaugh, que teve morte por câncer de pulmão anunciada no mesmo dia, o que não atrapalhou Donald Trump a dar opinião sobre várias questões, incluindo seus planos políticos mais próximos.

    O republicano revelou que, após sair da Casa Branca, só queria "calmaria", mas insistiu que os números de pesquisas de opinião pública permanecem fortes a seu favor mesmo depois do processo de impeachment.

    Segundo nova pesquisa de opinião pública Gallup, apenas 10% dos republicanos e dos partidários ligados ao Partido Republicano são a favor da condenação de Trump para impedi-lo de ocupar eternamente cargos públicos, enquanto 88% se opõem à condenação do ex-presidente.

    "Bem, temos apoio tremendo, não direi já, mas temos apoio tremendo. Estou olhando para números de pesquisas de opinião pública que estão altíssimos. Só eu passei por impeachment e meus números continuaram subindo. Os números são muito bons e muito altos, estes são mais altos do que antes da eleição", considerou Trump.

    Adicionalmente, o ex-presidente dos Estados Unidos se mostrou frustrado por ter sido expulso do Twitter devido à invasão ao Capitólio de 6 de janeiro.

    "O Twitter não é o mesmo, eu entendo que se tornou muito chato e milhões de pessoas estão saindo", disse Trump, que ainda está buscando uma nova plataforma para divulgar seus ideais.

    Quando deixou Washington, na manhã da posse de Joe Biden como 46º presidente dos Estados Unidos em 20 de janeiro, Trump prometeu a seus apoiadores que "estaremos de volta de alguma forma". Desde então, permaneceu quase invisível até esta quinta-feira (18).

    Mais:

    Democratas podem perder maioria na Câmara porque não conseguiram condenar Trump, diz ex-senador
    Antigo cassino de Donald Trump é demolido em Atlantic City (VÍDEO)
    Biden segue política fracassada de ilegalidade e 'pressão máxima' de Trump, diz MRE do Irã
    Tags:
    eua, ex-presidente, entrevista, Donald Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar