20:16 14 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)
    0 20
    Nos siga no

    O México vai reclamar ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) a respeito da "desigualdade" no acesso às vacinas contra a COVID-19 desenvolvidas por várias empresas farmacêuticas de todo o mundo

    O chanceler mexicano, Marcelo Ebrard, confirmou nesta terça-feira (16) que fará uma reclamação formal às Nações Unidas.

    "Amanhã [quarta-feira, 17] vamos apresentar, no Conselho de Segurança da ONU, a posição do México quanto à desigualdade no acesso às vacinas, porque não é justo", disse Ebrard.

    O México tem 126 milhões de habitantes e já assinou contratos que asseguram 232,22 milhões de doses de vacinas com várias empresas farmacêuticas. Com estas injeções, pouco mais de 130 milhões de pessoas podem ser vacinadas, considerando que alguns imunizantes requerem a aplicação de duas doses.

    O chanceler falou sobre a dificuldade na aquisição de doses de vacinas da Pfizer. Após três semanas de suspensão das exportações por conta de uma reconfiguração da fábrica da farmacêutica na Bélgica, a União Europeia autorizou o despacho de um novo lote de vacinas para o México, que deve chegar à capital mexicana na próxima semana. O governo do México assinou contrato para 5,18 milhões de doses de vacinas da Pfizer. Até agora, recebeu pouco mais de 1,2 milhão.

    O chanceler mexicano Marcelo Ebrard.
    © AP Photo / Patrick Semansky
    O chanceler mexicano Marcelo Ebrard

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) já fez diversos alertas para tentar garantir que a distribuição de vacinas seja mais igualitária mundialmente. Em 31 de dezembro, o diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu que as vacinas contra a COVID-19 sejam disponibilizadas para todos os países, não somente para nações ricas.

    Pouco mais de uma semana depois, Adhanom Ghebreysus voltou a pedir que países ricos compartilhem vacinas em excesso. No fim de janeiro, o presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, fez o mesmo apelo: que países ricos parem de acumular suprimentos excedentes de vacinas contra a COVID-19.

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)

    Mais:

    Coreia do Sul fecha acordos para comprar vacinas contra COVID-19 para mais 23 milhões de pessoas
    África do Sul devolverá 1 milhão de doses da vacina da AstraZeneca contra COVID-19, diz mídia
    Duas vacinas russas contra COVID-19 são eficazes contra nova cepa britânica do coronavírus
    'Brasil precisa buscar ajuda no exterior', diz especialista sobre spray contra a COVID-19
    COVID-19 pode causar inflamação em canal dos testículos, aponta estudo da USP
    Tags:
    Marcelo Ebrard, vacina, novo coronavírus, pandemia, COVID-19, ONU, México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar