00:46 07 Março 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    9112
    Nos siga no

    O porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, declarou nesta sexta-feira (12) que os EUA não descartam novas medidas contra a Rússia por "violações dos direitos humanos".

    Ao comentar a possibilidade da aplicação de novas medidas restritivas contra Moscou, o porta-voz citou um suposto "péssimo histórico da Rússia no campo dos direitos humanos".

    "Continuaremos a fazê-lo, seja na Rússia ou em outro país onde os direitos humanos são ameaçados por regimes que se opõem a esses princípios", disse Price em entrevista coletiva.

    "Também estamos examinando atentamente as violações dos direitos humanos de que falei e suspeito que ouvirão mais notícias sobre as respostas políticas adequadas às violações que vimos emanar de Moscou e ocorrer em solo russo", acrescentou.

    A Rússia negou repetidamente as alegações dos EUA de quaisquer violações dos direitos humanos por parte de Moscou.

    Nord Stream 2 na mira

    O porta-voz do Departamento de Estado acrescentou que os EUA avaliarão a possibilidade de sanções diante da tentativa de concluir o gasoduto Nord Stream 2 (Corrente do Norte 2).

    "Nossa posição sobre o Nord Stream 2 é muito clara e não mudou. O presidente [Joe] Biden deixou claro que o Nord Stream 2 era um mau negócio. É um mau negócio porque divide a Europa, expõe a Ucrânia e a Europa Central à manipulação russa, contradiz os objetivos declarados da Europa no domínio da segurança energética", disse Price.

    O gasoduto Nord Stream 2 prevê a conexão entre a Rússia e a Alemanha através do fundo do mar Báltico. O projeto é formado por uma aliança que também inclui empresas da Áustria, França, Países Baixos e outros países.

    Os Estados Unidos se opõem à construção do gasoduto e oferecem para a Europa seu gás natural liquefeito. O projeto foi suspenso em dezembro de 2019 depois que Washington ameaçou a empresa suíça Allseas, que realizava as obras, com sanções.

    A construção do gasoduto continuou em dezembro de 2020, com o navio de lançamento de dutos Fortuna tendo instalado 2,6 quilômetros de tubos nas águas da Alemanha. No momento, basta construir 148 quilômetros de gasoduto nas águas da Dinamarca e da Alemanha para finalizar o projeto.

    Mais:

    MRE russo para EUA e OTAN: Rússia não fará mais concessões unilaterais para controle de armas
    'Rússia continuará desafiando a presença dos EUA' no Oriente Médio, diz general norte-americano
    Rússia insta EUA a deixarem de 'brandir as armas de forma irresponsável' no mar Negro
    Ações russas e chinesas dificultam análise de ameaças à segurança, diz relatório dos EUA
    Tags:
    Departamento de Estado, Nord Stream 2, Nord Stream, sanções, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar