10:54 05 Março 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)
    0 21
    Nos siga no

    Mais da metade de todos os cidadãos norte-americanos continuam trabalhando de forma remota para evitar a exposição ou disseminação da COVID-19, que já matou mais de 476 mil pessoas nos Estados Unidos.

    As estatísticas sobre o trabalho remoto no país foram publicadas nesta sexta-feira (12) em um levantamento da Gallup, empresa norte-americana especialista em pesquisas.

    "À medida que a pandemia se estende até seu 11º mês, uma sólida maioria dos trabalhadores dos EUA continua relatando que está trabalhando remotamente o tempo todo ou parte do tempo para evitar pegar ou espalhar o novo coronavírus", disse a Gallup.

    A empresa acrescentou que a porcentagem de 56% dos que seguem trabalhando remotamente se refere a janeiro deste ano e está estatisticamente próxima dos 58% registrados nos quatro meses anteriores.

    Pessoas em luto durante enterro de parente, falecido em função da COVID-19, em San Felipe, Texas, EUA, 26 de janeiro de 2021
    © REUTERS / Callaghan O'Hare
    Pessoas em luto durante enterro de parente, falecido em função da COVID-19, em San Felipe, Texas, EUA, 26 de janeiro de 2021

    A Gallup perguntou pela primeira vez aos trabalhadores dos EUA em abril de 2020 se eles estavam trabalhando remotamente. À época, a taxa estava em um pico de 70%, observou a organização da pesquisa.

    "Ela [a proporção de trabalhadores remotos] diminuiu a cada mês subsequente antes de se estabilizar em 58% em setembro", disse a Gallup.

    A porcentagem de trabalhadores norte-americanos trabalhando remotamente "às vezes" também tem se mantido bastante estável em pouco mais de 20% na maior parte do período de abrangência da pesquisa, enquanto a proporção de pessoas que "nunca" trabalha de casa aumentou de 31% para 44%.

    Paciente recebe vacina experimental contra a COVID-19 em Seattle, nos EUA (foto de arquivo)
    © AP Photo / Ted S. Warren
    Paciente recebe vacina experimental contra a COVID-19 em Seattle, nos EUA (foto de arquivo)

    Segundo os dados da Universidade Johns Hopkins, os EUA são o país mais impactado pela pandemia do novo coronavírus em números absolutos de mortes e casos de COVID-19. Até o momento, cerca de 27,4 milhões de casos da doença foram confirmados no país, além de mais de 476 mil mortes.

    Os EUA também são o país que mais pessoas vacinou até agora, segundo os dados do site Our World in Data. No total, cerca de 46,4 milhões de norte-americanos receberam pelo menos a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus. O segundo país com mais pessoas vacinadas é a China, que tem cerca de 40 milhões de pessoas imunizadas.

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)

    Mais:

    Em memorial, Biden pede que mortos pela COVID-19 nos EUA não sejam esquecidos
    EUA: mais de 150 agentes da Guarda Nacional em Washington testam positivo para COVID-19
    Investigando COVID-19: China insta EUA a receberem equipe da OMS no país assim como Pequim autorizou
    Tags:
    Gallup, China, EUA, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar