04:34 04 Março 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Situação mundial da COVID-19 no início de fevereiro de 2021 (80)
    271
    Nos siga no

    Os pesquisadores alertaram que suas descobertas "reforçam a necessidade" de vigilância robusta nos EUA de possíveis variantes novas e emergentes do coronavírus.

    Segundo dados de um estudo publicado na plataforma MedRxiv neste domingo (7), a variante britânica, conhecida como B.1.1.7, está se espalhando rapidamente nos Estados Unidos.

    Os pesquisadores sustentam que a taxa de transmissão é de 30% a 40% maior do que as mutações mais comuns, dobrando a cada semana e meia. O estudo ainda não foi revisado por outros cientistas e nem publicado em revista científica, escreve o Washington Post.

    Segundo os pesquisadores, a variante já foi encontrada em pelo menos 30 estados apenas no mês de janeiro.

    ​"Os EUA estão em uma trajetória semelhante à de outros países onde a B.1.1.7 rapidamente se tornou a variante SARS-CoV-2 dominante. É quase certo que ela se torne a linhagem dominante em março de 2021", diz o estudo.

    "Os EUA ainda têm tempo para desacelerar a nova cepa do vírus, defendem os pesquisadores". Porém, alertaram que, sem "ação decisiva e imediata da saúde pública", a variante "provavelmente terá consequências devastadoras para a mortalidade e morbidade de COVID-19 nos EUA em alguns meses".

    Os cientistas analisaram meio milhão de testes de coronavírus e 212 genomas. Os autores do estudo escreveram que a cepa estava dobrando a cada 12,2 dias na Califórnia, e 9,1 dias na Flórida. Se o cálculo estiver correto, mil ou mais pessoas podem ser infectadas com a variante todos os dias nos Estados Unidos. 

    Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a B.1.1.7 está circulando em 80 países.

    Enfermeira faz teste em paciente para a COVID-19 organizado por Centros de Saúde Comunitários Philadelphia FIGHT, Filadélfia, Pensilvânia, EUA, 10 de dezembro de 2020
    © AP Photo / Matt Slocum
    Enfermeira faz teste em paciente para a COVID-19 organizado por Centros de Saúde Comunitários Philadelphia FIGHT, Filadélfia, Pensilvânia, EUA, 10 de dezembro de 2020

    Tema:
    Situação mundial da COVID-19 no início de fevereiro de 2021 (80)

    Mais:

    EUA confirmam 2 casos da variante do novo coronavírus que surgiu na África do Sul
    Epidemiologista: variantes do coronavírus podem aumentar mortes e disseminação da COVID-19
    Espanha restringirá voos do Brasil devido nova variante do SARS-CoV-2
    Tags:
    estudo, Reino Unido, novo coronavírus, COVID-19, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar