05:19 12 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Brasil contra coronavírus no início de fevereiro de 2021 (64)
    2271
    Nos siga no

    O governo da Venezuela anunciou que enviará, nas próximas horas, três caminhões com oxigênio para os estados brasileiros de Roraima e Amazonas, a fim de ajudar no tratamento de pacientes afetados pela COVID-19.

    "Estamos garantindo aos estados do Amazonas, no Brasil, e de Roraima, através da classe trabalhadora venezuelana, suas necessidades de oxigênio", afirmou o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, na noite desta terça-feira (2). "Hoje, chegaram três caminhões, que estão sendo carregados. Sairão um caminhão para Roraima e dois para o Amazonas", acrescentou.

    A Venezuela decidiu ajudar o Brasil em meio a uma profunda crise sanitária que atingiu principalmente a cidade de Manaus, capital amazonense, no mês passado, quando, por conta do grande aumento de casos, os hospitais da cidade sofreram com a falta de leitos e de oxigênio para os pacientes. 

    ​Por conta dessa situação no Amazonas, a Justiça brasileira decidiu abrir uma investigação para apurar a atuação do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na crise, por suspeitas de omissão. Há indícios de que, apesar de ter sido informado sobre a falta de oxigênio com certa antecedência, o ministro tenha demorado a tomar providências para evitar as mortes de pacientes nos hospitais de Manaus por asfixia.

    Tema:
    Brasil contra coronavírus no início de fevereiro de 2021 (64)

    Mais:

    PF investigará conduta de ministro da Saúde do Brasil em crise no Amazonas
    'Venezuela tenta aprofundar laços com o Brasil ao enviar oxigênio para Manaus', avalia especialista
    UE confirma que já não considera mais Guaidó presidente interino da Venezuela
    Oxigênio da Venezuela: doação ao Brasil reflete ideia chavista de integração, aponta pesquisador
    Tags:
    pandemia, Nicolás Maduro, oxigênio, brasileiros, novo coronavírus, COVID-19, Amazonas, Manaus, Venezuela, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar